[Devocional] Abra os olhos e contemple a luz do Senhor

Em 04.10.2016   Arquivado em Devocional

17

Abra os olhos e contemple a luz do Senhor

 Leia Isaías 60.1-3 e reflita.

“Levante-se, refulja! Porque chegou a sua luz, e a glória do Senhor raia sobre você. Olhe! A escuridão cobre a terra, densas trevas envolvem os povos, mas sobre você raia o Senhor, e sobre você se vê a sua glória.” — Isaías 60:1-2

Apesar de conhecer o Senhor, de orar, de ler a Palavra, de ter fé, eu já passei por situações que me fizeram mergulhar na escuridão do desespero. Eu só queria ver uma luz no fim do túnel.

Deus permite que passemos por momentos difíceis para que nos acheguemos a ele e encontremos sua luz nesses momentos. Ele quer que estejamos tão certos de sua luz em nós a ponto de nunca duvidarmos dela. Toda vez que estou em uma situação difícil e me achego a Deus, sua luz já se faz presente. Basta abrir os olhos e o coração para vê-la.

Adorar o Senhor, apesar das dificuldades, é o que abre o canal pelo qual sua luz brilha. Ele é a fonte de luz. Somos o caminho pelo qual ela brilha. Louvá-lo aumenta nossa capacidade de refletir sua luz. A luz do Senhor aumenta em nossa vida à medida que o adoramos pela pessoa que ele é e o louvamos como a Luz do mundo (Jo 8.12).

Toda vez que você se achegar a Deus nos momentos difíceis da vida, sempre encontrará a mão dele à sua espera. Quando você o louva em meio ao que está acontecendo, é o louvor que aperta o interruptor que permite sua luz fluir livremente por seu intermédio e resplandecer uma luz em seu caminho. Ele não só acenderá os refletores, mas fortalecerá sua fé e fará com que o inimigo saiba que você não tem medo do escuro.

Senhor, tu és a luz de minha vida. Sei que não há escuridão tão grande na qual a tua luz não possa penetrar. Não há situação ou circunstância que ofusque tua luz em minha vida. Tu vês o que está na escuridão; e quando eu estiver na escuridão, tu serás a minha luz. Sei que quando eu cair, tu me levantarás novamente. Eu te adoro como a luz da minha vida e te agradeço porque iluminas as trevas para mim.

— Stormie Omartian em “Bom Dia! Leituras Diárias com Stormie Omartian”.

[Devocional] Quando você se esvazia

Em 03.10.2016   Arquivado em Devocional

15

Quando você se esvazia

Não seja sábio aos seus próprios olhos. — Provérbios 3:7

Quando você está cheio de si, Deus não pode enchê-lo.

Mas quando você se esvazia de si mesmo, Deus tem um vaso útil. Sua Bíblia transborda de exemplos daqueles que fizeram isso.

Em seu evangelho, Mateus menciona o próprio nome apenas duas vezes. Em ambos os momentos, ele chama a si mesmo de coletor de impostos. Na sua lista de apóstolos, ele se coloca na oitava posição.

João nem sequer menciona seu nome em seu evangelho. Todas as vinte ocorrências do nome “João” são referências ao Batista. O João apóstolo chama a si mesmo apenas de “o outro discípulo” ou “o discípulo a quem Jesus amava”.

Lucas escreveu dois dos mais importantes livros da Bíblia, mas nunca sequer mencionou o próprio nome.

O rei Davi jamais escreveu um salmo celebrando sua vitória sobre Golias, mas escreveu um poema público de penitência, confessando seu pecado com Bate-Seba (veja o salmo 51).

Então, vemos José. O calado pai de Jesus. Em vez de criar uma reputação para si, fez um lar para Cristo. E, porque o fez, uma grande recompensa chegou a ele. “Ele lhe pôs o nome de Jesus” (Mt 1.25).

Senhor Deus, tu procuras corações humildes que estejam vazios de si mesmos. Que o meu coração seja um vaso útil para ti. Enche minha vida com o teu Espírito Santo. Que eu me preocupe mais em falar do teu nome do que com a minha reputação.

— Max Lucado em “Bom Dia! Leituras diárias com Max Lucado”.

Vem cá gênio, quero fazer um pedido!

Em 02.10.2016   Arquivado em Textos

tumblr_nteia17tzx1rb6crro1_500

Se eu pudesse…

Se hoje eu desse a sorte de encontrar um desses gênios da lâmpada por aí e ele me concedesse um desejo eu não iria pedir um vestido, uma carruagem ou uma oportunidade para conhecer o cara perfeito, se eu pudesse pediria para ser criança mais uma vez, pelo menos por um dia.

Em alguns dias a gente cansa de ser gente grande, sabe? O mundo real pode ser tão assustador quanto aquelas versões originais dos contos de fadas. Ser gente grande exige responsabilidade, confiança e muito jogo de cintura. O interessante é que quando eu era pequena tudo que eu queria era ser grande. Queria ir pra faculdade, fazer coisas incríveis, ser importante. Mas a gente nunca pensa na política, na economia, na máquina que rege o nosso país, e entra em pânico quando a máquina range e não funciona direito.

Criança não se preocupa com conta de luz, não tem que pagar faculdade, não precisa fazer o salário mínimo render. Criança espera a mãe fazer o bolo, liga a tevê e fica confuso na hora de escolher do que irá brincar com os amigos. Criança não tem que se preocupar em quem irá votar, quanto está a passagem do coletivo ou se o dinheiro dá pra fazer um lanche na faculdade.

Por isso e tantos outros dilemas, gostaria de ser menininha hoje de novo. Ao invés de ter que acordar cedo e encarar o mundo real, eu poderia permanecer de pijama, sentada no sofá assistindo Bom Dia & CIA. Tom & Jerry seria hilário novamente. Depois do almoço ficaria em volta da minha mãe na cozinha, esperando ansiosamente que ela terminasse de bater um bolo de chocolate, porque antes da bacia ser lavada, eu poderia devorar o restinho da massa que fora deixada ali de propósito sem me preocupar em sujar a minha blusa social.

Sem ter como sombra uma ansiedade latente, derivada de tudo aquilo que planejo e não dá certo, eu brincaria até tarde de pique-esconde na rua. Descalço correria o mais rápido que pudesse, sentindo o vento gelado do inverno bater no meu rosto e desgrenhar o meu cabelo, louca para bater a mão no poste antes que alguém me visse. “Thaís 1,2,3!”, eu gritaria já quase sem fôlego. Pediria quinhentas vezes para que mamãe me deixasse ficar na rua por pelo menos mais cinco minutos e depois teria que tomar banho correndo para não perder um episódio inédito de Chiquititas.

Quando eu caísse e ralasse o joelho ou se o mundo parecesse difícil e hostil, eu poderia correr para os braços da minha mãe. Eu ainda caberia em seus braços, na verdade eles seriam o encaixe perfeito, o lugar mais seguro para estar. Nas noites em que tivesse pesadelos, eu poderia correr para ela, sem isso ser vergonhoso.

Mas a vida adulta exige compostura. Chorar em público não é tão legal, forçar um sorriso é muito melhor. Você não pode chorar a toa, precisa conter as lágrimas e não deixar que a voz falhe. Não pode confiar em todo mundo, ou melhor, há quem diga que em quase ninguém. Quando criança nos ensinaram a ter medo dos estranhos e do velho do saco, agora parece mais fácil ficar com o pé atrás com todo mundo, porque você não sabe quem irá te trair, pode ser o namorado, o marido, o filho, o amigo… O mundo ficou muito preto e branco, as injustiças cresceram, a falta de tempo é uma constância e a busca por coisas fúteis – muito dinheiro, prestígio, fama, poder – parece importante demais.

A verdade é que todo mundo precisa dar uma volta nas lembranças da infância. Lembrar daquele tempo em você tinha fé na vida, em que acreditava fielmente que Deus ouvia suas orações e que era o seu Papai do Céu, ou até mesmo que Papai Noel de fato existia pode te inspirar a ter fé de novo. Lembra daquelas tardes em que o céu ficava escuro e relâmpagos e trovões cortavam o céu? Sua mãe mandava você calçar o chinelo, desligar a TV e não chegar perto da janela. Nada de tesouras, apontador ou garfo. Tinha que ficar quietinho pra deixar o céu desabafar. Você podia detestar perder aquele tempo precioso, mas pelo menos você ouvia o barulho da chuva batendo no telhado, contemplava a natureza e de quebra ainda recebia da mamãe uma xícara cheia de chocolate quente. A vida adulta é tão corrida que não dá tempo pra parar, não é meu bem? Você não imagina o quão relaxante é parar para ouvir o barulho da chuva ou assistir ao pôr do sol. Experimente, não será entediante como antes. Será melhor do que qualquer chá ou essas pílulas cheias de calmante que você precisa tomar quase de hora em hora.

Ainda não dá pra voltar no tempo, não dá pra ser criança de novo, mas dá pra fazer aquela esperança infantil renascer. Você pode acreditar em coisas boas e lutar por elas. Pode parar tudo de vez em quando e jogar uma partida de adedonha com os seus amigos ou até mesmo pique-esconde (fiz isso outro dia e foi incrível!). Ao invés de se preocupar tanto com coisas passageiras e essa competição ferrenha em ser o melhor em tudo, você pode valorizar as coisas simples da vida, elas valem muito a pena.

Se eu pudesse voltaria a ser criança, mas como não posso faço a minha eterna criança dar as caras de vez em quando – ou o máximo que puder.

***

Este texto faz parte do projeto Escrita Coletiva, o tema do mês de setembro (sim, estou atrasada) era “Se eu pudesse…”. Você pode conhecer o projeto clicando aqui.

[1.001 músicas] Mais preciosa do que o ouro

Em 01.10.2016   Arquivado em Desafios | Projetos, Textos

tumblr_m9ou5de8xi1rsqt7ao1_500

Moça, tenho visto o seu sorriso forçado e os seus olhos opacos. Ontem o banheiro foi palco do seu choro, um choro abafado, contido, o peito soluçava enquanto o coração permanecia dolorido. Mais uma vez esqueceram-se de tudo de bom e correto que você faz e só viram o erro cometido. Esqueceram de todo o seu amor, do seu respeito e obediência, parecem incapazes de reconhecer quem você de fato é. Quando você falhou ao invés de amor encontrou pedras nas mãos. É verdade que ainda não reconheceram o seu valor e eu sei o quanto isso dói, mas não esqueça que o Ser mais soberano do universo reconhece o seu valor.

Não chore se o mundo ainda não notou o quanto você vale, porque a opinião mais importante sobre você é aquela que está escrita no Livro da Vida. Talvez o cotidiano tenha feito com que você se esqueça do quanto o céu te ama e torce por sua vida, então estou aqui para lembrá-la.

Feche os olhos por um instante, moça. Imagine uma colina marcada por um solo seco, improdutivo. No alto da colina três cruzes foram montadas. Esta é uma das mortes mais infames, indignas e doloridas. São longas horas de sofrimento até a morte finalmente levar o espírito. E na cruz do meio está o homem mais sábio, doce e puro que este mundo já viu. Ele não cometeu crime algum para estar ali, ele não pecou, não enganou, não adulterou. Ele não xingou, não humilhou nem desrespeitou. Ele simplesmente decidiu entregar-se no seu lugar. Ele aceitou que injustiças fossem feitas com ele pensando em você. Você tinha uma dívida altíssima que só poderia ser paga pela morte, e ele foi o único disposto a pagá-la em seu lugar.

Que maluquice, não? Pois é! Talvez Deus pudesse ter entregado um anjo poderoso ou ter inspirado um ser humano comum para ser “o cara”, mas ele preferiu entregar o que tinha de melhor. O Senhor olhou a sua volta, fitou os olhos daquele que ele mais ama e decidiu entregá-lo para que a sua vida fosse salva. Se isso não é amor meu bem, eu não sei mais o que é. Este amor é o mesmo que está sobre você neste momento. É este Deus que olha para você agora. Ainda não é o suficiente para você se sentir amada e reconhecida?

Então vamos olhar um pouquinho para você. Embora eu não possa ir além do teu olhar, posso imaginar a riqueza que existe bem aí dentro de você! E como bem te conheço aposto que está neste momento se perguntando o que é que pode existir aí dentro de tão bom e especial. Talvez para mim e para o resto do mundo não aja nada dentro de você atraente, mas Deus vê o que ninguém mais vê. Enquanto um ouro nós podemos admirar, em você nós podemos enxergar a Deus.

Você reflete a Deus quando para tudo o que está fazendo para dar atenção a uma senhora aflita que está sentada ao seu lado no ponto de ônibus. Está cheia de Deus quando ora por alguém dentro de uma agência bancária lotada, não dando a mínima para os cochinhos de zombaria que as pessoas fazem ao redor. Você reflete a Jesus quando ao invés de deixar-se levar pela ira, pela agressividade e a ignorância escolhe responder a ofensa com amor. Você é menina um espelho que reflete a imagem do Senhor! Não costumam dizer por aí “Me diz com quem andas e direi quem és”? Eu vejo você andando com o Senhor e posso vê-la se transformando em alguém parecida com ele.

Só que nos últimos dias você tem se esquecido de quem é. As lembranças daquele passado distante do Senhor tem batido à porta do seu coração, te forçando a lembrar de quem você foi, dos erros que cometeu, das escolhas estúpidas que fez. E por mais repugnante que essas lembranças sejam, você tem cometido novamente alguns erros do passado. Parece que alguém marcou a ferro em seu coração a palavra “Pecado” e você está se esquecendo que um dia Deus te chamou de “menina dos olhos” (Sl 17:8). Querida, você precisa entender que a marca de Jesus que existe em você não pode ser apagada por causa de um erro cometido. João mesmo disse que todos nós somos pecadores, estaríamos mentindo se dissemos o contrário, contudo “se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça” (I Jo 1:9). Se você persistir no erro um dia estará longe o bastante de Deus, mas se tiver um coração arrependido dos erros cometidos então a graça de Deus será derramada sobre a sua vida!

Por que tanta graça? Por que tanto amor? Será que há algo em você tão especial? Será que é portadora de alguma qualidade e superpoder que favorecerá a Deus? Que interesse ele tem em você? Ah meu bem! Sua raridade não está em alguma coisa que você possui ou em algo que sabe fazer, o seu valor é um mistério de Deus que será revelado apenas entre vocês dois. O amor de Deus por você começa pelo simples fato da senhorita ser obra das mãos dele, por ser criação dele, por ser filha, mas não para por aí…

Sei que você tem pensado em desistir. Recentemente você não se questionou se a vida não seria mais simples, mais fácil, se desistisse logo dessa caminhada com Deus? Embora você queira desistir, Deus me mandou te dizer que ele não vai desistir da sua vida assim tão fácil. Ah, não! Ele entregou o bem mais precioso que tinha para te livrar da morte eterna e tudo o que ele quer te dar é uma vida em abundância, algo que ninguém mais poderá oferecer. Deus não desistiu de você, princesa. Deus está aqui pra te levantar mesmo que o mundo te faça cair. Deus está aqui.

E você é muito mais preciosa do que o ouro!

***

Este texto, inspirado na canção “Raridade” do Anderson Freire, faz parte do projeto “1.001 músicas que Edificam”, que tem o objetivo de ajudar escritores a eliminar o bloqueio escrevendo textos inspirados em canções cristãs, que visam falar sobre fé, amor, vida cristã e sobre o nosso Deus. Os textos inspirados nas canções tem como objetivo edificar e levar o amor do Aba a outros corações!

Você pode conhecer o projeto e fazer parte dele acessando o nosso grupo no Facebook:

Aqui

1-001

Página 1 de 16012345... 160Próximo