Poem a Day {10-21}

sábado, junho 21, 2014


Boa noite, meninas. Estava em falta com os meus textinhos do Poem a Day, mas consegui deixar eles prontinho hoje. Espero que vocês gostem!

Day 10 | O mar



Enquanto caminhava pela areia da praia sentindo as ondas geladas tocarem meus pés, me lembrei da criança de fé que fui, não simplesmente uma criança que acredita com o 'era uma vez' ou com fadas, mas daquelas que acreditam que o amanha vai chegar e que tudo pode mudar. 

Sei que era muito mais esperto e inteligente antes, era mais sonhador, mais confiante, tinha a certeza que as coisas mudariam e de uma hora para a outra elas mudavam mesmo, mas fui crescendo e ouvindo os 'nãos' que a vida dá pra gente, me apaixonei pela pessoa errada, escolhi o curso errado e acabei entrando em tudo que não queria entrar, muitos podem até dizer que há solução pra tudo isso, mas quando se é jovem não se vê as soluções com muita facilidade.

Queria ser aquela criança de novo, queria olhar para o céu e crer que há Alguém cuidando de mim, queria poder ver a solução para a minha tempestade... Cansado de andar, me sentei num ponto mais alto da areia onde a maré ainda não havia alcançado, enterrei os pés na areia e escondi minhas mãos nos bolsos da blusa de frio foi exatamente quando vi um folheto vindo na minha direção. Nele estava escrito: Jesus te convida a andar pela águas. Topa ou não? 

Foi exatamente naquele momento que aquele garoto que um dia eu fora encontrou lugar em mim novamente. 

Day 11 | O sertão



Lá está ela balançando com a a fraca brisa após mais um dia quente, suas folhas caíram, seus galhos estão secos, até mesmo a grama a sua volta perdeu a vida, mas ela continua dançando, continua firme esperando a chuva, mantendo a esperança de que dias melhores virão. Ela é apenas uma árvore, mas ensina mais que muita gente, se parássemos um pouco e fomos mais leves descobriríamos que a vida é muito mais simples, é a gente que acaba complicando tudo.   

Day 12 | Inspirado em uma música
 {Inspirado na canção A voz - Os Arrais}



Aos cansados e sobrecarregados, aos que acordam e descobrem ao abrir os armários que não há sequer um pão para se alimentar, aos que possuem tudo mais estão vazios por dentro, aos que tem buscado desesperadamente por dinheiro, amor ou pessoas mas tudo tem falhado, há uma voz que deseja alcançar o seu coração, há uma luz que deseja trazer sentido e paz a sua vida. O Rei dos Reis, Aquele mesmo que você deixou esquecido dentro da sua bíblia, Ele é real e quer lutar por você, Ele te ama muito mais do que você é capaz de imaginar e deseja te mostrar o quão Pai Ele é.

Ele é a paz e a esperança, Ele é a brisa após um dia quente de verão, Ele é o Pai que todo nós precisamos. Ele é o primeiro a nos ver acordar, é o abraço que nos envolve quando uma tempestade tenta naufragar a nossa vida, Ele é o Salvador que vem nos salvar.

Day 13 | Personagem literário
Um fim decente para À primeira vista



- Ótimo, ótimo - disse o médico. - Só mais um empurrão e pronto...

Lexie puxou as pernas para cima ao sentir mais uma contração, enquanto Jeremy secava a testa da esposa que brilhava de suor. Estava tão emocionado, tão empolgado com o nascimento da filha e ao mesmo tempo tão aturdido com aquela oportunidade que a vida lhe trouxera mas que havia a grande chance de nunca mais se repetir, que sentiu a sala encolher a sua volta. Tinha a impressão de que Doris ainda estava ali, viu os movimentos rápidos do médico e enfermeiras se aproximando, voltando de seus pensamentos viu sua esposa sorrir enquanto fazia força pela última vez. Então, como sabiamente faz uma criança ao chegar a essa mundo louco Claire soltou seu primeiro choro.

Tudo estava perfeito agora, Lexie sorria para a filha, ele estava ainda mais apaixonado pelo mulher e louco para conhecer a pequena criaturinha que ambos haviam dado vida. As enfermeiras colocaram Claire nos braços de Lexie e deixaram ele registrar o momento com a câmera, depois a levaram e o médico terminou o seu procedimento.

Meia hora depois a família estava reunida, Claire estava vestindo um pagão que ele mesmo havia escolhido logo depois que Lexie lhe contara que estava grávida, ainda não podia acreditar no quão rápido as coisas foram, há menos de um ano estava visitando aquela cidadezinha atrás de um cemitério fantasma pela primeira vez sem se quer imaginar o milagre que vinha pela frente. 

(Okay, talvez não tão decente quanto o que Nicholas Sparks pode fazer, mas melhor do que aquele fim ridículo que ele deu ao livro... Eu era tão apaixonada pela Lexie e pelo Jeremy e o tio Nick não teve medo algum em destruir meu coração ;s, prefiro pensar nesse fim.)

Day 14 | Tudo que você queria ter dito



Talvez não deveria ter deixado você ir daquele jeito, deveria ter feito mais, ter dito mais, ter tido menos medo e buscado mais coragem. Você esperou tanto por mim, tinha tanto carinho por mim, mostrou tanto o cara decente que era e mesmo assim eu continuei me escondendo atrás daquela máscara de garota forte... E quando menos esperei você se foi, não haviam mais mensagens suas no meu inbox, não haviam mais ligações no meu celular, nem mensagens desejando bom dia. Você se foi sem receber um abraço decente ou uma explicação, você se foi sem receber um texto sincero meu. Eu deveria ter dito, deveria ter te contado os sonhos que andavam ganhando vida em meu coração...

Day 15 | Um gênero nunca escrito 



Você estava parado do outro lado da rua, encostado na parede da sorveteria da cidade, você estava todo despreocupado folhando um livro e sorria com o que lia, me lembro daquele sorriso inocente e vibrante, me lembro daquele sorriso porque foi com ele que sonhei todos os dias depois daquele. Enquanto eu saía da floricultura você também me notou e ao invés de continuar sorrindo para o livro, você resolveu sorrir para mim. Eu vi você atravessar a rua só para me ajudar com a cesta de flores que estava segurando e foi ali naquele momento que conheci o cara mais gentil do mundo.


 Day 16 | Um medo



Ela tinha medo de ser sozinha, medo de que sua única companhia fossem os personagens dos livros que ocupavam lugares importantes da sua estante. Tinha medo de amanhecer e não ter ninguém para recebê-la com um sorriso, ou de ter ele em casa para terem uma boa conversa ou verem um filme juntos após o dia de trabalho. Ela morria de medo de não poder amar alguém de verdade um dia, morria mais ainda de algum dia a amar e não ser amada.

 Day 17 | Um sorriso



Lá estava ela, sentada na poltrona do corredor olhando para o lugar vago ao seu lado, tinha uma viagem longa pela frente e sua maior esperança era que ele estivesse sentado ao seu lado e que justos pudessem fazer daquela viagem um dia especial, mas ele tinha escolhido ficar, tinha escolhido ficar para sempre distante do seu coração.

Ela se lembrou da manhã anterior, ao acordar havia notado que estava sendo observada por aqueles olhos azuis que haviam há tanto tempo tirado seus pés do chão, havia um ligeiro sorriso ali também, um sorriso que prometia que manhãs como aquela seriam para sempre, mas logo os dois se colocaram de pé e tiveram um encontro com a realidade que vinha destruindo seu casamento há algum tempo.

Eles não haviam visto o dia correr, passaram cada instante brigando e chorando pelos cantos, ao fim do dia estava decidido eles se separariam, cada um seguiria seu rumo e o de Vitória seria entrar naquele ônibus sozinha. Talvez devesse sorrir e se sentir feliz por ter um mundo de oportunidades esperando por ela, mas ela sabia que não seria tão fácil assim. Ela nunca fora dessas garotas que acreditavam em metades de laranja, mas acreditava com todo coração que o seu casamento seria para sempre, não queria que aquela promessa feita diante de Deus fosse desfeita assim, deixando duas pessoas rasgadas ao meio. Pensou em levantar, em correr daquele ônibus e ir até o apartamento onde Fernando estava, mas não teve forças, enxugou a lágrima que escorria por sua bochecha.

Lutando para permanecer sentada naquela poltrona, desviou os olhos para o corredor e foi quando viu aquele mesmo sorriso novamente. Fernando estava de pé ao seu lado segurando um buquê de rosas vermelhas, desta vez não ele não sorria apenas com os lábios, seus olhos sorriam também, enquanto Vitória piscava buscando acreditar no que via, Fernando disse:

- Jamais poderia quebrar o nosso para sempre. - Ele fungou e secou algumas lágrimas que surgiam. - É muito tarde para pedir que viva mais uns capítulos da nossa história?

Vitória se levantou, sorriu e abraçou seu amado decidida a lutar por mais capítulos com toda a sua força.

Day 18 | Só Diálogos!



- Pai?
- Sim, querida?
- Estou com medo.
- Eu sei, filha. Mas você se lembra de quem Eu Sou e do que posso fazer? O mundo todo está em minhas mãos querida e ninguém será capaz de impedir o que Eu tenho pra você.
- Deus, obrigada por me amar tanto assim.
- Você é minha criação, faz parte da minha família e um Pai jamais se esquece de Seus filhos.

 Day 19 | Animal como protagonista
Borboletas 



Enquanto caminhava pelo jardim em busca de paz vi algumas borboletas voando entre as flores, elas eram tão livres, tão diferentes, únicas... Quisera eu ser tão livre quanto elas, livre da maldade, do ódio, da inveja, livre da má fé. Queria ser livre para alçar meu próprio voo, queria poder sonhar em alcançar a nuvens e não ter que ouvir pessoas dizendo que é impossível, queria poder acreditar no amor com mais afinco sem que as pessoas me julgassem por isso. Dei mais alguns passos e me sentei aos pés de uma árvore, de dentro da minha bolsa tirei minha velha companheira, abri minha bíblia aleatoriamente e senti Sua voz falar comigo: "Até os cabelos da cabeça de vocês estão todos contados. Portanto, não tenham medo; vocês valem mais do que muitos pardais!" (Mateus 10:30-31) Com o amor do meu Pai batendo no peito e a certeza que independente do que as pessoas dizem eu ainda posso ser quem nasci para ser, fechei meus olhos e sonhei com meu voo. E assim acabei me tornando uma borboleta única e especial, guiada pela fé em direção aos céus.

Day 20 | Seu sonho de hoje



Tinha uma garotinha olhando pra mim, seus cabelos ondulados e a presença marcante de uma única covinha em seu rosto me revelaram que aquela era eu muitos anos atrás. Ao olhar para a pequena garotinha que me encarava, uma pergunta cravou meu peito: será que ela está orgulhosa de quem me tornei? Fechei os olhos por um instante e quando voltei a abri-los a menina estava ao meu lado segurando minha mão, ela me conduziu a um velho balanço que havia no jardim, se sentou e olhou para mim com aqueles olhos castanhos brilhantes, queria que eu a balançasse. Quanto mais a balançava mais a menina sorria e ela me lembrou de uma das maiores lições que aprendi na infância seja feliz com as coisas simples da vida.  

Day 21 | Girassol



Gira moça, gira
deixa o vestido azul ganhar vida,
permita que seus cabelos dancem com a brisa.

Gire, pule, grite,
só não seja como um girassol
que gira pro mesmo céu todo dia.  

You Might Also Like

0 Comments

Popular Posts


Compre o nosso livro!