O Doador de Memórias


Oi gente! Que saudade louca de vocês. Já vou explicar o meu sumiço, semana passada fiquei batendo a cabeça na parede para fazer e apresentar o meu primeiro seminário de Medieval, graças à Deus deu tudo certinho, mas pra completar a semana fiquei sem internet, por isso o blog ficou bem parado. Mas em um dos meus momentos de folga, me joguei na poltrona da sala e assisti O Doador de Memórias, e garanto que valeu super a pena!

Tenho a incrível habilidade de não conhecer as séries literárias que estão fazendo sucesso, e acabo mergulhando na história apenas quando vejo o filme - assim bem sem querer mesmo - foi isso que aconteceu com Jogos Vorazes e agora com O Doador de Memórias.



A história se passa em um Planeta Terra diferente do que conhecemos, o mundo deixou de ser um caos, doenças, guerras, mortes, ódio, diferenças, foram excluídas da sociedade. Agora o mundo é dividido em comunidades, onde todos são iguais e levam uma vida perfeita. Para esse novo mundo funcionar bem tudo o que levava ao passado da raça humana deveria ser excluído, como as lembranças, a história da humanidade, e consequentemente o lado bom da vida, nada de presenciar as cores e ou ter direitos ao universo dos sentimentos. 

Neste mundo perfeito,  nós conhecemos o Jonas, um jovem que está saindo da infância e logo receberá sua qualificação de trabalho, apreensivo e com medo do novo, o garoto se descobre numa missão completamente diferente daquilo que se esperava, ele foi escolhido para ser o próximo Doador, será o único em sua comunidade a conhecer toda a história da humanidade. 




Jonas nunca se encaixou no sistema, ele sempre quis algo mais da vida, agora com o direito de saber tudo o que já aconteceu, sentindo todas as alegrias e as dores que a vida pode trazer, Jonas e seu mestre, o "ex-doador", podem se tornar um imenso problema para a comunidade.

O filme nos leva a diversas reflexões incríveis, como seria viver sem sentimentos? O quão negativo seria não poder brincar num domingo à tarde com os seus amigos ou poder abraçar os seus pais? Como seria viver sem sentir o amor ou as emoções que nos levam a cometer uma loucura divertida por impulso? Como seria viver em um mundo perfeito? E será que valeria a pena? Será que lutaríamos contra o sistema ou faríamos parte dele?



Além do enredo do filme ser super interessante, o elenco é de peso e a qualidade cinematográfica também. O filme começa em preto e branco, e de acordo com que Jonas vai descobrindo o mundo real sua visão de mundo muda e as cores logo vão ganhando espaço na telinha. O filme é recheado de cenas paralelas que retratam a vida humana, confesso que foi uma das minhas partes favoritas, deu impulso ao filme e a mim mesma.

Apesar de ser uma distopia, não vá assistir esperando as cenas quentes de ação de Jogos Vorazes ou Divergente, o filme é bem tranquilo e filosófico, uma ótima companhia para o fim do dia. Além de ter uma pitada de romance.

O filme conta com Brenton Thwaites no papel de Jonas, Jeff Bridges como O Doador, Meryl Streep é uma vilã irresistível, Katie Holmes, Taylor Swift e grande elenco.

Confira o trailer:


Quem já assistiu o filme? Ou leu o livro?
Inverti a ordem das coisas, mas com certeza vou ler o livro!
Alguém ficou com vontade de assistir? *-*
Que a semana de vocês seja uma benção ♥

0 comentários:

Postar um comentário

 
Princesas adoradoras © Todos os direitos reservados :: voltar ao topo