Príncipe Caspian {resenha}



Pedro, Susana, Edmundo e Lúcia estão em uma estação esperando o trem que os levará para a escola, quando algo começa a puxá-los, levando os irmãos a culpar um e outro, até que tudo a volta deles some e eles se encontram numa praia deserta. Será que estão em Nárnia novamente? Se sim, que lugar estranho será esse? E por que estão de volta?

Essas são as perguntas que rondam os nossos 4 irmãos favoritos, que após um ano no nosso mundo são levados à Nárnia para uma missão misteriosa. Após horas em uma floresta desconhecida, os irmãos acabam descobrindo que um ano no nosso mundo significa dezenas em Nárnia, seu palácio em Cair Paravel está em ruínas e algo muito ruim aconteceu com os narnianos.


Após conhecerem um anãozinho rabugento e cético, os irmãos conhecem a história de Caspian, jovem herdeiro do reino de Nárnia, que faz parte do povo dos telmarinos, que habitam Nárnia desde que Susana, Edmundo, Pedro e Lúcia sumiram. Nárnia está sendo governado pelo tio de Caspian, um homem detestável que assim como seus antecessores nega o passado glorioso de Nárnia e não mede esforços para permanecer no trono.

Assim que sua esposa dá a luz, a um garotinho, o rei ordena que seu sobrinho seja morto e é agora que a aventura de Caspian começa. Desde pequeno ouviu histórias sobre a antiga Nárnia, sobre os anões, os animais falantes, as árvores... E quando ele se depara com eles nas entranhas da floresta, Caspian descobre seu lar e motivo para lutar pelo povo. 



Lúcia, Edmundo, Susana e Pedro foram chamados através da trombeta da rainha Susana para ser uma ajuda para a nova luta por Nárnia e os filhos de Adão não decepcionarão!

Uma das coisas mais interessantes deste 4º livro, é que Pedro e Susana já estão grandes demais para acreditar em certas coisas e nós vemos como nós mesmos fomos abrindo mão de enxergar tudo aquilo que nos parece impossível. 

É sem dúvida, assim como os outros volumes, uma leitura deliciosa e super rápida, com pouco mais de 100 páginas. Lewis sabe desenvolver a história super bem e afirmo, não é um livro restrito a crianças, além da aventura há ensinamentos para todas as idades!

Um dos trechos que mais chamou a minha atenção neste livro, foi na passagem em que apenas Lúcia enxergava Aslam, nenhum dos outros irmãos conseguia vê-lo tão pouco acreditavam na irmã mais nova. Lúcia contudo, confiou no Leão, e sua pureza e crença fez com que permanecesse o alcançando mesmo quando todos desconfiavam dela..
Isso acontece muito na vida de um cristão, quantas vezes apenas nós enxergamos a Deus? Tudo está dando errado a nossa volta e não há chances de ninguém notar a presença de Deus em nossa vida, mas Ele está lá, fiel como sempre, nos sustentando, caminhando conosco e nos livrando do mal. E Ele nos diz isso, e mesmo que não diga, nós podemos senti-lo. 


Quotes:

- Aslam! Querido Aslam! - soluçou. - Até que enfim!
O grande animal deitou-se de lado, de modo que Lúcia caiu, ficando meio sentada e meio deitada entre as suas patas dianteiras. Ele inclinou-se e com a língua tocou o nariz da menina, que se sentiu envolvida pelo seu bafo quente. Ela levantou os olhos e fixou-se no grande rosto sério. 
- Foi bom ter vindo - disse ele.
- Aslam, como você está grande!
- É porque você está mais crescida, meu bem.
- E você, não?
- Eu, não. Mas, à medida que você for crescendo, eu parecerei maior a seus olhos. (pag. 358)


- Muito bem! - foram as suas palavras. - Depois de um silêncio terrível, disse com voz grave: - Susana! - Susana não respondeu e pareceu aos outros que estava chorando. - Você deixou que o medo a dominasse. Venha, deixe que sopre sobre você. Esqueça seus receios. Está melhor agora? (pag. 364)


- Parece que você se preocupa demais com a sua honra - disse Aslam. (pag. 390)


Alguém por aqui já leu ou ficou com vontade? 
Espero que sim!

Esta resenha faz parte do projeto Lendo As Crônicas de Nárnia, que deveria ser terminado em um ano, mas não sei se serei capaz ;s, mas vou continuar mesmo assim. Para conferir as outras resenhas basta acessar os links abaixo:


0 comentários:

Postar um comentário

 
Princesas adoradoras © Todos os direitos reservados :: voltar ao topo