O coração da princesa

quinta-feira, setembro 03, 2015



Há 18 anos atrás uma princesinha de olhos verdes e cabelos castanhos foi colocada nos braços de um rei que não conseguia conter sua emoção. O nascimento da primeira herdeira foi uma festa enorme, não apenas entre os pais da garotinha, mas por todo o reino flores foram espalhadas e fogos de artifício cobriam o céu. E em meio aqueles dias de festa, o conselheiro do rei pediu que ele fosse ter com ele, para que pudesse receber alguns conselhos. Entre xícaras de chá, o conselheiro explicou ao rei que segundo à vontade do Criador, o homem havia sido estabelecido como cabeça do seu lar, caberia a ele cuidar da sua esposa e dos seus filhos, e entre todas as tarefas que deveria cumprir uma das mais importantes era cuidar do coração da princesa.

A garotinha cresceu tão rápido quanto flores do campo. Em um piscar de olhos as bonecas foram sendo trocadas por livros, as danças de roda com as demais crianças do reino foram se tornando bailes importantes e menina curiosa deu lugar a uma jovem mulher sábia e inteligente. Fluente em várias línguas, conhecedora de teorias e ideias de homens e mulheres importantes, a jovem ainda assim preferia uma boa caminhada ao lado dos pais onde aprenderia muito mais do que em qualquer outro livro. E foi em uma dessas caminhadas que seu pai lhe revelara sua missão: cuidar do seu coração.

Durante aquela caminhada, a moça dos olhos doces entendera que seu coração era seu bem mais precioso, era como um lugar sagrado, deveria ser zelado, nem todos poderiam entrar, porque saídas costumavam ser dolorosas demais.

Em seus romances a mocinha aprendera a sonhar com um cavaleiro de sorriso cativante e ações nobres, mas logo entendera que seu pai gostaria de fazer parte daquele momento e que ela poderia contar com o apoio dele para viver sua história de amor. Os casais de suas histórias costumavam viver amores proibidos, eram perseguidos pelo mal e separados até terem uma única página de alegria em que suas vidas eram resumidos em um "felizes para sempre". Depois de analisar seus romances a princesa entendera que a vida já tinha suas próprias dificuldades e que ela não desejava somar mais itens a esta lista, confiaria no Criador e em seus pais e esperaria pelo bom cavaleiro, por aquele que fosse aprovado. 

Em uma tarde de primavera, enquanto escrevia algumas poesias um vento forte a surpreendeu e levou para longe suas folhas que até então estiveram depositadas sobre a grama em um montinho. Enquanto corria pelo gramado em busca das folhas, a princesa foi encontrar algumas nas mãos de um rapaz que até poucos minutos estivera selando um cavalo. Antes de devolver as folhas ele leu um trecho de um dos poemas.

- Nossa, foi a senhorita que escreveu? - o rapaz perguntou surpreso. A princesa olhou bem em seus olhos antes de responder, seu rosto não era estranho.

- Sim. - ela respondeu com timidez, não tinha deixado que ninguém lesse suas poesias ainda. Ela estendeu a mão para pegá-las, mas ele não entregou de imediato.

- Só devolvo se a princesa responder quem eu sou... - ele arqueou uma das sobrancelhas e sorriu travesso.

A princesa olhou bem o seu rosto, aquele sorriso parecia conhecido... Deixou que sua mente procurasse por ele e acabou encontrando, eles correram por aquelas mesmas colinas há pouco menos de 10 anos atrás, eram unha e carne até que o menino se mudou para um reino distante. O rapazinho que a ensinara subir em árvores e a levara para casa quando ela caiu e ralou o joelho estava bem na sua frente, agora como um homem.

O rapaz que tinha acabado de voltar para o reino estava trabalhando com os animais do palácio e ela ainda não havia cruzado com ele por ela mesmo ter acabado de voltar de uma viagem ao exterior. A princesa e o rapaz passaram dias lendo poesias sentados nas gramas em que correram quando crianças e acabaram descobrindo que a velha amizade havia se tornado algo além, eles se amavam de um jeito diferente agora. Eles tinham vontade de entrelaçarem os dedos e nunca mais soltar. A princesa e o rapaz conversaram sobre seus sentimentos, mas antes de tomar uma decisão, a princesa voltou a ter uma das antigas caminhadas que fazia com o seu pai. 

Seus cabelos grisalhos e as rugas que chegavam em volta dos olhos só deram um ar característico ao pai do homem sábio que era, eles tomaram uma decisão juntos e a princesa recebeu a benção real para que o amor que o Criador havia preparado para ela fosse vivido.    

***

Este conto foi apenas uma forma de retratar a importância que nossos pais tem em nossos relacionamentos. Semana passada falei da importância deles na corte e independente se você vai fazer a corte ou vai esperar e ter um namoro nos padrões cristãos de outra forma, entenda que a participação dos seus pais é mega importante. Eles nos ajudam ver além, podem analisar aquilo que nossos olhos apaixonados não veem. Aprendi com o pastor Naor Pedroza que o coração da moça deve ser guardado pelo pai para que ao encontrar o amor da sua vida, o seu coração não esteja ferido e machucado, mas para que ele esteja inteiro e aberto à viver o amor. 

Mesmo que meu pai não dê muito espaço para eu conversar com ele e mesmo que ele não entenda meu ponto de vista de fé em relação ao amor, sei que precisarei conversar com ele sobre isso quando chegar a hora, quando eu me apaixonar por alguém, quando decidir namorar ou fazer a corte, meu pai precisa fazer parte, porque esta é uma forma de honrá-lo e de ter as bençãos de Deus sobre mim. 

"Quando Deus instituiu a família, Ele estabeleceu uma cadeia de autoridade na qual o pai é o cabeça, o guardião espiritual. O pai é aquele que guarda as entradas da casa e os corações dos filhos. Acreditem ou não, é o pai quem abrirá ou fechará a entrada do bem ou do mal nas nossas casas. Ele é quem deveria fazer isso com o coração dos seus filhos, a fim de que eles não chegassem ao casamento com preconceitos sexuais. Os pais devem proteger as filhas quando elas são solteiras." (Corte vs Namoro, p. 145) 

Seu coração é um tesouro princesa e mesmo que seu pai não possa ou não saiba como cuidá-lo, sei que Deus pode cuidar dele para você! Deixe esse tesouro bem guardado, pois ele não foi feito para ser machucado e pisoteado. 

Série sobre Corte:

You Might Also Like

3 Comments

  1. Oii, Thaís! Tem como não se apaixonar por este seu conto?! Muito lindo, inspirador e que retrata justamente o que devemos viver aqui fora, no mundo real. Li seu post no qual falava da importância dos pais no namoro, e cá estou eu te parabenizando por pegar firme nesse tema tão essencial para nós, que ainda vamos namorar ou para aqueles que namoram, mas não faziam ideia da importância dos pais no namoro. Guardar o coração está na Bíblia, é algo que Deus quer para nós e que a gente nos proteja de sofrimentos desnecessários e de sofrimentos causados por desobediência. Recebo a mensagem deste post! Meus pais me apoiam, meu pai (já que o post fala da posição do pai, vamos dar foco nele hahahaha) está sempre dizendo que quer o melhor para minhas irmãs e eu, além de fazer piadas em relação quando o rapaz chegar para falar com ele hahahahaha é muito bom receber esse carinho e compreensão de nossas escolhas. Fica na paz e darei glória a Deus bem alto quando ler seu post contando como fora a sua experiência nesta área, que será abençoada! Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém, Ruh! Obrigada pelo carinho.
      Fico feliz em saber que seu pai está cumprindo o papel dele, você e as suas irmãs são muito sortudas, tenho certeza que o coração de vocês está bem guardado e que será honrado. Nossos pais e Deus desejam o melhor para nós.
      Quando o meu dia chegar vou contar sim rsrs e vou querer ler o seu lá no blog hein?! Vai ser tudo muito lindo *-*
      Obrigada pela visita, é sempre um prazer tê-la por aqui!
      Beijão!!

      Excluir
  2. Que texto lindo, princesa. As vezes reclamamos que nosso coração "se quebrou" mas não analisa a quem estamos entregando algo tão precioso, né?

    Beijos, tresazero.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Popular Posts


Compre o nosso livro!