Que seja doce, 2016

quinta-feira, dezembro 31, 2015



Mais um ano se vai, acompanhado da velha nostalgia que grita "parece que o ano novo foi ontem!". E parece mesmo! É incrível como o tempo tem passado tão depressa, mal entramos em janeiro e amanhã vamos começar outro. Acho que toda essa pressa tem muito a ver com a vida adulta, com aquela obrigação maluca em aprender o máximo na faculdade, ter um lindo CR - média dos períodos -, concorrer com os colegas de turma pelas bolsas da faculdade... E olha que ainda nem chegamos ao mercado de trabalho! Lá se vão semanas sentada diante de cadernos, livros e textos xerografados. O marcador de texto acaba, tem que fazer pelo menos 3 contas pra ver se o trocado que está no banco cobre as xerox da semana. Não é bem a vida de um adulto, mas leva a mesma característica de pressa.

Acontece que foram tantas horas sentada diante de uma mesa cheia de papeis que sobrou pouco tempo para enfiar os pés nos grãos de areia frios de uma praia pela manhã ou sentar perto da janela para ver as flores que nascem com tamanha delicadeza.

E além das conquistas materiais são esses momentos mais simples que importam, não é mesmo? Pelo menos é a teoria que defendo. Assim as lembranças que causam mais sorrisos são simples como bolo de cenoura com cobertura de chocolate: quando a minha irmã aprendeu a nadar durante o verão ou quando minha mãe e eu invertemos os papeis, ela queria assistir a um desses shows de verão na praia, enquanto eu era uma velha rabugenta que queria voltar para casa só para ler um livro... Ir duas vezes ao cinema na mesma semana é memorável e reencontrar os melhores amigos e passarmos um tempo juntos como se não tivéssemos ficado um dia se quer longe uns dos outros.

Quando estava voltando para o Espírito Santo para passar as férias em casa, uma senhora veio conversando comigo no ônibus sobre seu prazer por viagens. Ela já é de idade e a família fica preocupada com ela viajar sozinha. Essa senhora me ensinou uma coisa que não vou esquecer com facilidade: "na minha mala não levo o medo, mas sim respeito." Com ele, a senhora acredita poder ir a qualquer lugar. O pensamento dessa senhora apaixonada pelo Flamengo e por seus jogos, me fez pensar no que levarei em minha mala para 2016...

Alguns vestidos floridos vão com certeza! São ótimos para dias de sol a pino, mas posso pedir uma coisa? 2016, traga mais dias chuvosos? Chuvas leves, que combinem com filme e pipoca, por favor. Um par de All Star para me acompanhar em viagens ou caminhadas por novos lugares.  Tiaras para o cabelo e cordões com pingentes de âncora e coroa.

Vou engarrafar doses de coragem e encher apenas duas caixinhas de palitos de fósforo com ansiedade, só para acompanhar momentos marcantes dando um friozinho na barriga, nada além disso dona ansiedade. Porta retratos com momentos de alegria e conquista já estão guardados no bolso da frente. Os momentos difíceis, as lágrimas e as dores foram transformados em lições e vão guardadinhas em bolso seguro, para me lembrar sempre que preciso de que por mais impossível que pareça os problemas sempre tem um fim e através da fé podem sim ser vencidos. Reservei um espaço especial para a fé, ela é o brilho que encanta a minha jornada por aqui. Alguns acreditam em magia, fada madrinha e sapatinhos de cristal, acredito em um Deus que está sempre comigo, seja puxando orelha ou me incentivando a prosseguir, e se deixar a fé para trás não nos encontraremos com facilidade após as 12 badaladas desta noite.  

Para 2016 quero que as coisas sejam ainda mais simples e doces, que meus pés toquem mais areias, que eu fique cansada de jogar futebol com a minhã irmã e que me suje com molho de hambúrguer... Que aja mais palavras, histórias e quem sabe mais livros! Que durante os próximos 366 dias eu diminua e Deus cresça, que aja mais intimidade, cumplicidade e amizade com o Pai. Que as sementinhas de margarida que comprei cresçam e floresçam, que sonhos que começaram a se tornar realidade em 2015 se encorpem ainda mais neste novo ano e que eu possa florescer no jardim do Senhor, sendo útil e levando outras pessoas a ter um encontro com o Jardineiro, e quem sabe não as ajudo a se tornarem lindas flores... 

Que aja mais paz, amor e fé.
Seja doce, 2016. Seja doce.

Feliz ano novo!

You Might Also Like

2 Comments

  1. Que texto lindo Thais! Eu acho muito linda a forma como você escreve,me lembra bastante o Max Lucado! Que em 2016 tenhamos mais tempo e sensibilidade para as coisas simples dessa vida, bjoos!!

    blogilumiinar.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Max Lucado? Ganhei o dia, princesa *---* haha Obrigada pelo carinho, mesmo! Que 2016 seja recheado de coisinhas simples! Beijos, pequena!
      Feliz ano novo!

      Excluir

Popular Posts


Compre o nosso livro!