[Dica de Princesa] Não me sinto uma princesa, e agora?




Outro dia recebi uma mensagem interessante de uma pessoa que leu o primeiro capítulo do nosso livro (Princesas Adoradoras: Um Chamado para a Realeza) e que embora tenha gostado da forma como eu entendo a ideia de sermos filhas do Senhor e do quanto Ele nos ama, ela não consegue se sentir como essa princesa e nem realmente manter uma relacionamento com o Rei. A confidência dessa moça me fez pensar em quantas meninas podem estar passando por momentos parecidos e nas vezes em que eu também me afastei de Deus e me vi como tudo, menos uma princesa.

É complicado se sentir uma princesa quando tudo diz exatamente o contrário. Não sei com você, mas comigo ouvir a opinião dos outros sempre foi uma mania, e estaria mentindo se dissesse que o que ouço não me influencia, magoa, decepciona, alegra... Quando ouvimos muito a mesma coisa, ela ganha espaço no nosso coração e começa a parecer verdade. Então se você cresceu sendo chamada de “burra”, “vagabunda”, “idiota” e tantos outros adjetivos pejorativos, em algum momento eles começarão a fazer parte de você, não que você realmente seja tudo isso ou venha se tornar a ser, mas você começará a se questionar sobre, a se sentir inferior, se tornar uma pessoa retraída ou carregará  um peso nas costas que estará sempre te impondo a ser alguém melhor, nada disso acontecerá a não ser que você tenha uma mente incrível que não liga para nada do que ouça ou que tenha aprendido desde muito cedo que a verdade sobre a sua vida está em Deus.

Em um dos desenhos animados que a minha irmã assisti, “Princesinha Sofia”, durante um dos episódios a protagonista encontra uma garotinha simples que diz ser de uma terra distante. Essa garotinha estava em uma viagem marítima com os pais, mas uma bruxa roubou um amuleto que os conduzia na direção certa para casa e separou a menina da família. O que nos interessa nessa história é que ela diz ser uma princesa, mas por ser simples, usar roupas modestas que são diferentes dos luxuosos vestidos usados por Sofia e as demais mulheres da sua família, e por não ter os mesmos modos reais que a família da princesa Sofia acredita serem adequados, ninguém crê que aquela menina é mesmo uma princesa de verdade. Apenas no final do episódio, Sofia e sua família descobrem que a garotinha é mesmo uma princesa, e a menina deixa uma linda lição que aprendeu com os pais: não são seus vestidos, joias, “educação de ponta” ou mesmo os modos que a fazem uma princesa, mas sim seu caráter, sua educação moral e a pessoa que ela busca ser.

Ainda não consegue se sentir uma princesa? Ok, vamos a algo mais profundo do que a Disney. Em meu livro esbocei a seguinte ideia:

“Pense comigo: uma pessoa que inventa um produto é quem está apta para determinar seu preço, ou seja, seu valor, certo? Foi Deus quem criou você, Ele é o artista, portanto, é Ele, apenas Ele, quem possui o direito de determinar seu valor.” (Princesas Adoradoras: Um Chamado para a Realeza, p. 14)

Você realmente crê nisso? Acredita que você foi planejada pelo Artista e não é um arquivo que surgiu a partir de uma pane nas tecnologias celestiais? Se sim, vamos partir para o próximo ponto. Talvez eu devesse te dizer para olhar para dentro de si mesma, para encontrar a princesa que está guardada aí, a princesa que não é definida por vestidos, joias, mas sim por caráter e personalidade, assim como a amiguinha da princesa Sofia, contudo, aprendi recentemente que uma invenção não pode ela mesma determinar seu valor e utilidade.

“É provável que você já tenha tentado isso. Você não criou a si mesmo, logo não há jeito de dizer a si mesmo para que foi criado! Se eu lhe entregar uma invenção desconhecida, você não terá como saber sua serventia nem a própria invenção terá a capacidade de lhe dizer. Somente o criador ou o manual do fabricante poderá mostrar sua utilidade.” (Rick Warren)

Se quem está capacitado a nos valorizar é o Senhor, não adiantará ficarmos buscando o nosso valor ou mesmo os propósitos da nossa vida dentro de nós. Por isso, te convido a parar de se auto questionar sobre a sua realeza, não pergunte a si mesma, não fique à procura de vestígios da família real em você, porque tanto você como eu, se nós olharmos bem para nós mesmas vamos acabar descobrindo que não temos merecimento algum em sermos consideradas princesas, em sermos chamadas de filhas, mas mesmo assim somos porque Deus nos amou, porque Ele nos convida a fazer parte da Sua família. Então, o lance não é você, mas sim Deus! Para se descobrir como princesa é preciso estar atenta a opinião daquele que te criou! 

“Pois nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos sejam soberanias, poderes ou autoridades; todas as coisas foram criadas por Ele e para Ele.” (Colossense 1:16)

Contudo, não basta apenas sabermos que o nosso valor vem de Deus, é preciso vivenciar esse valor e isso só será possível a partir do momento que você e Deus estiverem entrelaçados em um relacionamento. Não tem como saber a opinião de alguém sobre você a menos que essa pessoa diga, né? Funciona do mesmo jeito com Deus, se você não estiver disposta a ouvi-Lo, aberta a Sua voz, a Sua Palavra Sagrada, não saberá a Sua opinião. Sei muito bem que manter um relacionamento com Deus não é uma das coisas mais fáceis, exige comprometimento e maturidade, e quantas vezes nos envolvemos pelas coisas do mundo e nos distanciamos dEle? São tantas vezes, são tantas falhas! Mas é preciso estar disposta e fazer um pouco a cada novo dia. Recomece sempre que preciso, só não deixe para depois. 

Domingo que vem volto com dicas para seu relacionamento com Deus! E está aberta uma série antiga de posts aqui no blog: “Dica de Princesa”. Todo domingo trarei uma dica sobre a vida de uma Princesa Adoradora! Encontro vocês semana que vem? Se Deus quiser! 

Beijos e uma excelente semana!

4 comentários:

  1. Thaís,obrigada pelo texto,algo que faço muito é me questionar se sou uma princesa ou alguém de quem Deus se orgulha.Eu não era tão insegura quando criança,mas com o passar do tempo fui me tornando mais retraída e até me sentindo inferior as outras garotas,sinto vergonha de falar com as pessoas e vivo com vontade de fazer amizade mas eu nunca consigo ser eu mesma com as pessoas que não sou acostumada,tenho um certo medo de que não gostem de mim,apesar de saber que o amor que realmente preciso é o do Pai.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Princesa, não tem que agradecer. Bom, não basta eu apenas te dizer: "não se sinta mais assim", "tente agir de forma diferente...", as coisas só vão mudar quando você permitir que a opinião de Deus seja mais importante, e que você é linda, especial e Deus se orgulha de você! Espero que Deus te encha de amor próprio e coragem para ser você mesma, toda menina merece isso! Qualquer coisa estou aqui!
      Deus te abençoe, viu!
      Abraços!

      Excluir
  2. Se somos filhas do Rei, somos princesas Dele. Cada linha do texto é impactante! Realmente existe muitas pessoas - meninas propriamente ditas - que passam ou já passaram por este sentimento. Mas, quando entendemos o nosso dever e servimos Aquele que nos escolheu conforme a Sua vontade, nos tornamos ainda mais preciosas. Esse trecho enfatiza bem o que eu quero dizer "Contudo, não basta apenas sabermos que o nosso valor vem de Deus, é preciso vivenciar esse valor e isso só será possível a partir do momento que você e Deus estiverem entrelaçados em um relacionamento."

    Lindo post! Parabéns!

    http://majestadesanta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Com a idade hoje percebo que todos erram e não são perfeitos, mas importante é saber reconhecer e busca em Deus a mudança e claro confiar em suas promessas.

    http://somosevangélicas.blogspot.com

    ResponderExcluir

 
Princesas adoradoras © Todos os direitos reservados :: voltar ao topo