Eles são pedaços do mundo anexados em páginas amareladas

Eles estiveram aqui desde a minha infância. Eram fininhos, continham poucas linhas, mas já me ensinavam que havia um Deus que me amava e que havia enviado Seu filho para me salvar. Alguns tinham desenhos lindos, outros nem tanto. Uma vez ganhei uma casinha de papelão com um monte deles dentro. Eles eram pequenos e com poucas páginas, e me contaram histórias de princesas, de um boneco de madeira que ganhou vida e de três porquinhos teimosos que faziam um lobo cair pela chaminé.

Alguns vinham com CD’s, repletos de musiquinhas. Minhas amigas e eu dançávamos pela sala… “O macaco foi a feira e não teve o que comprar, comprou uma cadeira pra ‘cumadre’ se sentar, a ‘cumadre’ se sentou e a cadeira esborrachou…”. Outros vinham com jogos para computador e nós brigávamos para ver quem jogava primeiro.

Os anos foram passando, e eles permaneceram chegando por aqui. Deixaram de ser fininhos. Passaram a ter mais páginas e menos figuras. Continuaram abrindo uma porta no guarda-roupa que não me levava apenas para Nárnia, mas para qualquer lugar da Galáxia!

Viajei para Forks (vezes até demais, hoje admito), conheci as Carolinas do Norte e Sul, Londres, Austrália, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, New York, Jerusalém, Napólis, o Reino de Petra, o universo de Fahrenheit 451, e tantos outros lugares. Percorri suas ruas, seus pontos turísticos, seus segredos e falhas. Me aventurei por lugares reais, mas também por universos que nasceram em corações sonhadores.

Fui princesa, jornalista, advogada, médica. Mãe, filha, irmã, esposa, namorada. Conheci gente boa, mas gente má também. Torci, chorei, tive colapsos de raiva, vontade de perseguir o autor (né Nicholas Sparks?). Devorei alguns em poucas horas e os devolvi para a estante com raiva por ter lido tão depressa uma história tão boa.

Não sei dizer qual é o meu favorito. Sei que amo vários e detesto alguns. Gasto a maior parte do meu dinheiro com eles, sem arrependimento. E já fiquei horas na frente do computador para aproveitar uma falsa promoção da Black Friday. Já corri casa a fora quando o carteiro gritou meu nome! Já cheirei suas páginas infinitas vezes! Aaaaah s2

Às vezes eles tem páginas amareladas e cheirinho de coisa nova. Às vezes páginas brancas. Às vezes eles estão na telinha do meu Kindle Paperwhite, na tela do computador ou em qualquer coisa que tenha acesso a internet.

O certo é que eles me levaram para um mundo completamente diferente em momentos difíceis, fazendo com que eu me esquecesse dos meus problemas  e me apaixonasse por seus personagens. Um deles me apresentou a Verdade na qual baseio minha vida – JESUS. Outros me proporcionam alegria, novos conhecimentos, aprendizados e experiências.

Eles estão por toda parte por aqui, empilhados na minha mesa de estudos, enfileirados na estante, perdidos na minha mochila, espalhados pelas mesas da casa. Eles podem parecer estáticos e inúteis para quem não os curte, mas para aqueles que já os abriram e se permitiram viajar, eles, os livros, contém um pouco de vida, são pedaços do mundo anexados em páginas amareladas.

Se você é leitor, então parabéns atrasado pelo seu dia. E que venham muitas outras leituras!

Ps: Imagem via Via We Heart It – Créditos a HiP Paris Blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code