Serenidade no Espírito

Durante 2017 acabei deixando de lado um projeto muito bacana que havia criado em 2016, o espaço Textos dos Leitores, mas eu não parei de receber textos no meu e-mail, e cada um melhor do que o outro. Então decidi postar os textos que muitas princesas me enviaram e reabrir este espaço aqui no blog. Toda sexta-feira vou postar um ou alguns dos textos que tenho recebido. E a ideia é que vocês continuem mandando!

A ideia deste projeto é abrir um espaço aqui no blog para compartilhar os textos dos nossos leitores, espalhando a fé, o amor, a poesias e muitas histórias com a identidade de cada escritor. É sempre bom descobrir um escritor talentoso, né? Então toda sexta-feira conheceremos novos escritores por aqui, não é legal?

Se você quiser enviar o seu texto, basta saber mais informações sobre o projeto clicando neste link.

Serenidade do Espírito

Alma agitada é como um oceano revolto, suas ondas crescem cada vez que suas emoções ficam atrapalhadas e você se vê em um barquinho  sozinha nesse imenso oceano, sua vontade é de mergulhar na água e se deixar morrer pela revolta daquele mar, você senta e começa a chorar parece que ninguém te ouvi e você não vê  terra firme, o que fazer? Morrer lutando ou afogado nisso tudo?

Você senta e fecha os olhos, e pede para Deus que tudo se acabe, sem perceber alguém entra no seu barquinho e de toca levemente, você sente uma paz dentro de si, ao olhar você vê um homem com roupas de carpinteiro e o engraçado as suas botas estão no outro lado do barco molhadas, você não sabe quem ele é, mas Ele sabe quem você é. Aquele sorriso te paralisa, quem seria aquele louco? Você não vê nenhum barco, seu coração parece que sabe quem Ele é, mas você fica na dúvida, Ele te olha e fala:

— Não é a primeira que isso acontece, a primeira vez foi tipo uma pegadinha que fiz com meus amigos há muito tempo. — Ele sorri e senta na sua frente, seu coração quer perguntar e sua boca fala aquilo que tanto te intriga.

— Quem é você? Nenhuma pessoa viria aqui, ninguém mesmo sabe… Nem meus pais ou meus amigos, por que você veio?

— Por que te amo, simples assim, te amo e nada que você faça mudará isso, você pediu para eu estar aqui e vim, não suporto ver as pessoas que eu amo sofrerem desse jeito. Eu só espero que peçam a minha ajuda. Olha ao seu redor, o sol está quente, céu limpo, brisa suave, fecha os olhos e sente essa brisa e esse vento, isso é muito bom, bom mesmo.

Você olha e vê que a tempestade passou, você fecha os olhos e sente a brisa, e admite que ela é realmente boa e fresca, você sorri e suspira:

— Muito obrigada, valeu mesmo.

— Que isso, você pediu e eu vi, foi só isso.

Vocês dois ficam ali e olhando aquela criatura você se lembra de Mateus 14:22-36, e percebe que você está com Jesus no seu barco.

***

Este texto é da leitora Nathália Lorrane, você pode conferi-lo no blog dessa princesa linda!

Nathália Lorrane

Espero o seu texto também! Um beijo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code