Que tipo de Pai Deus é?

quarta-feira, fevereiro 06, 2019



Semana passada conversamos aqui no blog sobre a Paternidade de Deus e a importância de o reconhecermos como nosso Pai, além das implicâncias que esse reconhecimento gera em nossa vida (se você não viu essa postagem, clique aqui). Dando continuidade a este tema, hoje gostaria de conversar contigo sobre a imagem que você tem de Deus como Pai. Como você descreveria o Aba? 

Enquanto lia 30 dias para tornar-se uma mulher de oração, da escritora americana Stormie Omartian — esse mês teremos resenha dele aqui no blog —, uma fala da Stormie falou muito ao meu coração. 

Muitas vezes, porém, as pessoas têm uma imagem distorcida de Deus como pai, porque tiveram (ou têm) um relacionamento ruim ou inexistente com seu pai humano. Se você não se sentiu amada por seu pai humano, sentiu-se distante dele, abandonada ou humilhada por ele, talvez projete esses sentimentos em Deus. (p. 19)

Durante muito tempo, meu pai e eu tivemos um relacionamento muito distante, e eu não conseguia entender por que. Apesar de presente fisicamente e financeiramente, durante toda minha infância e adolescência, meu pai sempre foi bem fechado na dele — hoje, compreendo que isso é resultado da própria criação que ele teve —, além disso, nós vivemos muitos dilemas familiares, meus pais enfrentaram muitos desafios no casamento, e tudo isso afetou no nosso relacionamento de pai e filha, nós não conseguíamos ser íntimos um do outro, e quanto mais eu crescia, mais sentia que nós éramos diferentes e não enxergava meios de viver um relacionamento mais íntimo com ele.

Por muitas vezes eu questionei a Deus sobre isso. Eu queria viver um relacionamento mais intimista com o meu pai e não entendia por que isso deveria ser um problema entre a gente, em vista de tantas outras batalhas espirituais e psicológicas que a nossa família já travava. O relacionamento que meu pai e eu vivíamos muitas vezes fez com que eu me sentisse abandonada e não amada. Foi em meio aos meus questionamentos a Deus, que Ele me ensinou que eu não era filha apenas do meu pai terreno, mas de um Pai Celestial que estava de olho em mim o tempo todo, atento a todas as minhas dores e alegrias. E descobrir essa verdade, também possibilitou que muitas coisas mudassem no meu relacionamento com meu pai terreno.

Todavia, por mais que eu não tivesse essa intenção, por muitas vezes projetei a imagem e a experiência que eu tinha vivido com meu pai, em Deus. Por vezes eu não quis me abrir a Ele, por vezes eu preferi lidar com algumas situações sozinha, a recorrer a Ele  e em algumas vezes eu fugi do seu amor. 

Para a minha sorte, o amor do Pai não desiste, e constantemente Ele me mostrou que Ele não é distante, não é humilhador e nem tem problemas em compartilhar o que pensa e sente comigo. Deus me mostrou que me ama e que quer que eu o ame também! Eu desconheço a imagem que você tem de Deus como Pai, mas eu posso te garantir que Deus deseja ter um relacionamento profundo contigo, Ele deseja a sua confiança e companhia! Por mais que os nossos pais terrenos sejam falhos, errem e nos abandonem, Deus nunca nos deixará nem nos abandonará! O Senhor é aquele que sabe do que você precisa (Mt 6:8), Ele tem prazer em dar coisas boas aos filhos que o amam, o procuram e pedem (Mt 7:7). 

Como foi ou é o seu relacionamento com o seu pai? Você consegue perceber se tem projetado algo deste relacionamento em Deus? Será que você tem projetado sobre Deus algum sentimento que nutre pelo seu pai? Caso você não tenha tido um relacionamento com o seu pai, isso também pode influenciar no seu relacionamento com Deus. 

Se o seu pai foi ausente ou nunca teve tempo disponível para você, pode ser que você sinta que Deus também é ausente, que ele não estará disponível quando você precisar. Caso seu pai tenha sido abusivo, severo ou emocionalmente distante, pode ser que você também reproduza essas características em Deus. 

O relacionamento com seu pai terreno pode afetar o relacionamento com o Pai celestial muito mais do que você imagina, caso você não dê os passos necessários para impedir que isso ocorra. (Stormie Omartian)

Vamos analisar algumas situações que nos levam a ter uma imagem distorcida de Deus Pai?

1. Pai ausente

Como já afirmei mais acima, mesmo que seu pai tenha sido ausente, que não tenha tido tempo pra você nem se dedicado a sua criação, Deus não é assim. Em Hebreus 13:5, nós temos como promessa que Deus jamais nos deixará nem nos abandonará. Por mais que seu coração insista em te dizer que você está sozinha, que ninguém se importa com você, saiba que você não está só!

2. Cobradores de perfeição

Muitos pais não aceitam que os seus filhos sejam menos do que perfeitos. Essa exigência leva muitas pessoas a viverem em constante angústia, a se sentirem inferiores e a terem dificuldade em construir uma história que valha a pena viver.

Esses pais, por mais que não tenham isso como objetivo, acabam possibilitando que seus filhos se sintam fracassados todas as vezes em que falham ou cometem erros. Pode ser que você esteja vivendo essa situação, e está tão acostumada a conviver com o ideal de perfeição cobrado pelo seu pai, que acredita que Deus espera o mesmo de você. Mas deixa eu te contar um segredo: Deus não está desapontado contigo!

Deus não espera que você seja perfeita. Ele sabe que isso é impossível! Perfeito só Ele é. É claro que Deus possui diversas expectativas para você alcançar, mas por mais grandiosas que as expectativas criadas por Deus sejam, elas não são para te ferir, mas sim para que viva os propósitos que Ele escreveu para você. Deus não se enfurece porque você não é perfeita. Deus não espera que você caminhe com perfeição por essa terra. Se fosse assim, Ele não tinha nos ensinado a nos arrependermos de nossas falhas e confessarmos (1 Jo 1:8-9). Por isso, abandone essa ideia de perfeição! Deus não é como o seu pai terreno.

O Poder do perdão

Uma coisa que a Stormie Omartian me ensinou, com o próprio testemunho dela, é que por mais que eu não tenha poderes para controlar o meu pai terreno e fazê-lo agir como eu gostaria, eu tenho poder para controlar a minha reação ao nosso relacionamento, e a chave para a cura do nosso relacionamento foi o perdão. Liberar o perdão é fundamental para que você purifique o seu coração, bem como a sua visão, o que mudará a própria forma com que você enxerga a Deus. O perdão é fundamental para que você libere a pessoa também. 

Para que você tenha uma base sólida nas coisas de Deus que determinarão o destino e os acontecimentos de sua vida, e para a ter a liberdade, a plenitude e o sucesso verdadeiro que deseja, é necessário perdoar seu pai terreno por tudo que fez ou deixou de fazer para você ou por você. [...] Qualquer que seja o caso, peça a Deus que lhe mostre se existe algo no relacionamento entre você e seu pai que precisa ser perdoado ou consertado. (Stormie Omartian, p. 22)

Independente de como tenha sido o seu relacionamento com o seu pai, peça a Deus que te ajude a liberar o perdão. Há pais que aceitam o diálogo e se abrem para o perdoam, enquanto outros não. Se esta for a sua situação, se talvez você tenha sofrido com um relacionamento abusivo ou ausente, e não consiga se encontrar pessoalmente com o seu pai, peça ajuda a Deus para que você libere o perdão entre você e Deus. Perdoe-o por aquilo que ele falou, fez ou deixou de fazer. Deus tem poder para te ajudar a libertar o seu coração desse peso, e ao seu pai também. 

Mesmo que você tenha tido um relacionamento maravilhoso com o seu pai, peça a Deus que te mostre se de alguma forma você está projetando sobre Ele alguma imagem errada, e se estiver peça a Ele que te ajude a mudar isso. 

Reconhecer a Deus como nosso Pai e aceitá-lo como Ele de fato é, sem atribuirmos a Deus imagens deturpadas, é fundamental para vivermos a vida de propósitos que Ele escreveu para nós. Por isso, gostaria de compartilhar com você uma lista de nomes que Deus utilizou para se revelar ao seu povo. Espero que estes nomes falem com você e confirmem a paternidade de Deus sobre a sua vida.

Quem Deus é?



O Aba é restaurador. Tudo o que foi tomado, destruído, devorado ou perdido pode ser restaurado por Ele! (Sl 23:3).

O Aba é libertador. Ele nos liberta de tudo o que nos impede de vivermos a vida que Ele planejou para nós (Sl 70:5).

O Pai é redentor. Ele redime todas as coisas em nossa vida! (Is 63:16)

O Papai é a força! É quando nos sentimos a mais fraca das criaturas que Ele é forte em nós! (Is 12:2).

O Aba é o nosso guia. Podemos reconhecê-lo em tudo o que fazemos, sabendo que Ele endireita nossos passos (Pv 3:6).

Deus Pai é conselheiro. Ele sempre nos ensina o que é certo a fazer (Sl 16:7).

O Pai é a nossa paz. Quando a vida nos proporciona pouca paz, ainda é possível encontrar paz nEle (Ef 2:14).

O Aba é Emanuel, é Deus comigo. Sempre perto, nunca distante. Obrigada por nunca me abandonar, Papai! (Mt 1:23)

Ele é torre forte! É como uma capa de proteção sobre nós quando o buscamos (Pv 18:10).

O Aba é um abrigo. Toda vez que tememos e enfrentamos mais do que somos capazes de suportar, podemos nos abrigar nEle (Sl 32:7).

O Pai é sabedoria. Quando precisamos de qualquer sabedoria, podemos ir até ele, ele nos dará todo entendimento necessário (I Co 1:24).

O Aba é eterno.  É nosso pai hoje, amanhã e sempre, e não apenas quando as coisas ficarem difíceis (Is 9:6). 

Essas são apenas algumas das denominações e características de Deus. Quanto mais você buscá-lo, mais conhecerá sobre o seu Pai! 

Não deixe que nada atrapalhe a sua forma de ver a Deus como o seu Aba!

You Might Also Like

0 Comments

Popular Posts

O blog virou livro!

O blog virou livro!
Compre o nosso livro!

Bom dia, princesa

Bom dia, princesa
Nosso novo livro está em pré-venda, acesse o site da Editora UPbooks e descubra mais sobre esse livro que será benção na sua vida.