Confiar – Capítulo 10.

Ei Princesas *-*
Nossa, passei duas semanas sem postar nada no blog ;/ e peço infinitas desculpas quanto a isso. Hoje está no ar o 10º capítulo de Confiar, estamos chegando numa fase um tanto quanto decisiva, espero que vocês gostem e deixem suas opiniões.
Boa leitura :))
Thaís Oliveira.
Capítulo 10

Sophia acordou com o seu celular tocando, não estava nem um pouco a fim de atender alguém, mas quando olhou para o visor viu que era Jú.

– Oi?!

– Nossa, quanto sono garota. – Jú disse sorrindo.

– É, a senhora acabou de me acordar, e para ficar bem claro eu não gosto de ser acordada.

– Compreendo perfeitamente… Mas você precisa ver uma coisa!

– Que coisa? – Sophia notou a empolgação de Jú.

– Pega seu laptop agora e acessa o seu facebook. Você não sabe o que anda rolando nas redes sociais…

– Não sei mesmo, não entro nelas há quase um mês, nem quero imaginar o que posso encontrar… – Antes de Sophia terminar a frase, Jú já foi falando.

– Pode ficar calma, não é nada sobre você ou que te afeta de uma forma má. Já entrou?

Com muita dificuldade Sophia saiu de seu edredom e foi até sua escrivaninha onde estava seu laptop.

– Já estou com ele em mãos, espere só um segundo, ele já está ligando… Espero que seja mesmo surpreende, porque tipo assim EU ESTAVA DORMINDO!

– É, eu sei. Você não podia estar dormindo, não é hora de dormir, depois da escola você deve estudar mais, só que o que aconteceu hoje te deu o direito de tirar uma sonequinha.

– É. Entrei.

Assim que Sophia abriu sua página inicial foi surpreendida com vídeos e fotos do acontecimento na porta da escola, montagens insultavam o Pedro, mostrando uma criança medrosa ao invés daquele garoto monstruoso que havia inventado uma mentira tão grande sobre ela. Sophia foi até o perfil dele onde encontrou diversas mensagens das garotas da escola dizendo que ele não valia nada e não era homem suficiente, coisas desse tipo.

– Qual reação eu devo ter? – Perguntou Sophia.

– Acho que você não deve ficar feliz, porque o que está acontecendo com ele não é legal, mas também não deve ficar com pena, ele fez pior com você. Entenda apenas que ele mesmo procurou isso, colhemos aquilo que plantamos certo?

– Certo.

– Eu não consegui segurar uma risada quando vi o vídeo dele caindo. – Jú disse rindo novamente.

– É, ao vivo foi hilário, imagino no vídeo… Mas, eu prefiro não ver, é melhor.

– Bom, você que sabe… Quer falar a respeito do que aconteceu hoje?

– Acho que é uma ótima ideia. Sabe, eu esperava que um dia ele viesse dar uma de santinho para cima de mim, mas não que ele me beijaria a força, e até agora eu não entendi o porque do beijo. Não entendi mesmo, ele disse: “o que eu quero?” e me beijou, você pode me explicar isso?

– Talvez ele achou que você ainda era louca por ele e que beijando você, ele te teria de volta, ou teria você rastejando aos pés dele. Esses garotos são estranhos e idiotas, ele só queria fazer você sofrer de novo, é isso que eu penso.

– É, faz sentido. E ele não conseguiu. E eu não era louca por ele.

– Ah, me perdoe pela falsa informação. – Jú disse rindo. – Uma coisa me deixou intrigada, como o Tiago sabia de tudo?

– Essa dúvida também me torturava e eu perguntei a ele, foi a Sara que contou, ela é minha professora, é mãe dele, ele insistiu demais e ela acabou contando…

– Ah, sim. Eu nunca tinha visto o Tiago daquele jeito, foi tão bonitinho ver ele defendendo você.

– Foi, só não fui legal ver você apavorada. – Sophia sorriu.

– Eu fico sem  reações às vezes.

– É, percebi. Será que o Pedro vai querer falar comigo de novo?

– Acho que não, não depois de tudo que está acontecendo, ninguém acredita mais nele.

– Mas se parar pra pensar, isso pode fazer com que ele queira mesmo falar comigo…

– Acho que você não deve perder tempo pensando nisso, deixa pra lá, se acontecer Deus vai estar com você! Tenho que ir agora, mamãe está me chamando. Beijinhos.

– Beijos, tchau!

Sophia se viu sem nada para fazer, ainda estava com sono, mas decidiu que já bastava, precisava fazer alguma coisa. Ainda com o laptop em mãos, ela começou a vasculhar pelos seus arquivos e encontrou o álbum de fotos que tinha com as amigas Paula, Bella e Carol, enquanto passava as fotos ia se lembrando das risadas e momentos divertidos, sentiu saudades, mas ao mesmo tempo se lembrou dos momentos ruins, da desobediência, das vezes que se perdeu… E isso não trouxe saudade.

Lembrar do passado e mergulhar nas escolhas erradas que você fez, pode abalar o coração. Logo assim que você volta a caminhar na direção do Mestre e se depara com as escolhas que tomou, com as atitudes, a sua postura, acaba ficando indignada consigo mesma, e neste momento você deve tomar cuidado, deve tomar a atitude de apenas olhar para o passado para se lembrar de nunca mais cometer os mesmos erros.

Não deixe que o seu passado te influencie para o mau, não fique presa a ele. O que você fez no seu passado não proíbe que você viva o que Deus preparou para a sua vida, se escolheu mudar, mude sem medo do que o inimigo fará você lembrar. Deus não vive de passado, Ele não é museu, que você não viva dele também.

Duas semanas se passaram tranquilamente, Sophia não viu mais a cara de Pedro e os murmurinhos sobre ele foram sendo deixados de lado. A mentira que andava na boca das pessoas foi esquecida e olhares de pena e vergonha pairavam sobre as pessoas que haviam insultado Sophia, aliás, muitas delas vieram se redimir, dizendo o quanto haviam errado.
Tiago, Jú e Estrela começaram a passar muito tempo juntos, uma peça de teatro começou a ser ensaiada e o brilho do Mestre não parava de crescer em Estrela, tudo estava caminhando bem, até hoje.

“Você sabe a diferença entre um homem e um covarde, moleque? Você sabe que um homem não pode levar um desaforo pra casa?” 
Ouvi estas palavras sendo sussurradas no ouvido de Pedro e me aproximei dele.
“Não são essas palavras que você deve ouvir, Pedro. Você é muito mais que isso, há um homem melhor dentro de você, um homem que não quer brigar, apenas quer crescer e realizar sonhos. Não dê ouvidos ao mal, filho.”
Sophia não sabia mais Pedro era usuário de drogas e não tão um bom rapaz. Veio de um berço rico, mas faltou o amor e uma família preparada para fazer dele um bom homem. Depressivo e angustiado encontrou no mundo das drogas uma possível porta de salvação. 
Consumia cocaína há algum tempo procurando euforia, animação, bem-estar. A cocaína tende a acelerar o coração e a aumentar a pressão, fazendo com que o usuário tenha a sensação de poder, onipotência. Pedro queria novas emoções, queria na verdade fugir dos problemas, da casa cheia de guerras em que seus pais viviam, das frustrantes quedas que o mundo dava a sua volta.
Ao conhecer Sophia até pensou que podia parar, e foi por isso que não comentou nada a ela, porém ele não conseguiu, e as pequenas doses não o faziam “viajar” o suficiente, então ele foi aumentando e se afundando cada vez mais. 
Há duas semanas quando Pedro puxou Sophia na escola, ele estava drogado, estava inquieto, tremulo e impaciente, efeitos colaterais da cocaína, ele se sentia poderoso e acreditou que podia fazer com sua ex garota o que quisesse, mas não contava com a presença de um garoto maior para defende-la. E não era apenas o garoto que havia feito Pedro falhar, ele viu uma forte luz sobre o rapaz e sobre Sophia, uma luz que parecia protegê-los, porém ele não acredita que isso era real, estava cogitando que tinha sido apenas parte da sua “viagem”. 
Pedro estava disposto a se vingar de alguma forma de Sophia e seu novo amigo, uma legião de anjos estava ali naquele momento lutando contra as vozes do inimigo, mas era elas que Pedro queria ouvir.
Ele pegou seu celular e ligou para um amigo.
– Cara, preciso de uma ajuda sua. Você ainda tem aquela arma?

♥ 

Em frente a casa de Sophia havia uma pequena praça, Tiago, Jú e ela estavam lá sentados conversando.
– Você já se decidiu sobre a faculdade, Estrela? – Perguntou Tiago.
– Ainda não tenho muita certeza, gosto de tantas coisas ao mesmo tempo… 
– Entendo… Mas já tem alguns cursos em mente? 
– Jornalismo, Cinema, algumas coisas desse tipo.
– Bons cursos. E se você escolher Cinema eu posso te ajudar. E você, Jú?
– Ah, eu não estou pensando muito em faculdade. Estou fazendo curso de Teologia e me preparando para evangelização, depois de terminar a escola devo ir com os meus pais para algum país africano evangelizar. – Enquanto Jú falava, Estrela ficou paralisada.
– A sua ideia é maravilhosa, mas você vai me deixar de novo? 
– Eu não vou te deixar sua boba, é que é o meu sonho desde pequena, nós temos mais de 1 ano juntas ainda, acalme-se.
– Ata. – Estrela disse toda triste.
– Evangelizar?! Tinha me esquecido desse seu sonho. Cara, meus parabéns! Deus vai amar sua atitude, com certeza. 
– É para Ele, Tiago! – Júlia disse sorrindo.
– Vamos mudar de assunto, para a nossa noite não terminar triste. E como vai seu curso de Cinema? 
– Muito bom, estou cheio de ideias. Estou trabalhando bastante para comprar equipamentos novos… Quando quiserem fazer uns vídeos legais me chamem.
– Ei, isso me deu uma ideia incrível! – Jú toda animada disse.
– Qual, Jú? 
– Que tal criarmos uma page na web? Podemos evangelizar, Estrela você adora escrever, Tiago manda muito nos vídeos e eu amo falar… É a fórmula perfeita! E claro, DEUS temos tudo!
– É uma excelente ideia, mas dá pra você, Tiago?
– Claro que dá, eu vou amar. 
– Então O.K. Vamos orar e marcar umas reuniões para juntar nossas ideias.
– Fechado.
– Pra comemorarmos a formação da nossa equipe que tal um pote de sorvete? 
– Hun… Eu quero muito! – Jú disse deixando suas convinhas extremamente fofas.
– Vou ir em casa buscar. Já volto.
Sophia atravessou a rua e entrou em casa.

– Querida, por que vocês não entram?

– A lua está tão linda, mãe. E está quente hoje, lá fora está bom, daqui a pouco entramos, tá bom?

– Eu preferia que vocês entrassem agora.

– Eu vou lá chamá-los, então.

Pedro estava dentro de um carro e viu Sophia entrando em casa, viu também Tiago e uma raiva imensurável rasgou seu peito. 
Tremendo ele pegou a arma que estava no banco do carona. 
“Pedro não faça isso, é errado!”

Tentei alertá-lo o caminho todo até aqui, falamos com ele, intercedemos e pedimos ao Mestre que mudasse aquele quadro, mas sabemos que há o livre arbítrio permitindo o homem poder escolher o que fazer.

Pedro saiu do carro e se manteve à sombra de uma casa.

Caminhando entre as sombras, ele viu quando Sophia saiu de casa e se sentou entre Tiago e Jú. Ela estava linda, com uma saia de renda e uma blusa branca, seus cabelos cacheados caíam pelas costas, dando a ela um ar de inocência. Por um momento ele parou, e pensou na garota que estava bem a sua frente, lembrou do som da risada dela, da sabedoria e do quanto ela era especial, mas ele também se lembrou que ela não era mais dele. Ele bateu com a arma na cabeça várias vezes, tentando buscar controle para fazer o que queria, colocou a arma num bolso interno de sua blusa de frio.

Pedro saiu das sobras e atravessou a rua, parando na frente dos três amigos. Sophia e Jú se olharam, enquanto Tiago se levantava e ficava na frente das meninas.

– O que você quer? – Perguntou firmemente Tiago.

Pedro não respondeu, apenas tirou sua arma de trás das costas e apontou para Tiago.

– Sophia está demorando. – Gustavo disse, inquieto.

– Ela deve estar convencendo o Tiago a entrar, você sabe o quanto ele é tímido.

– É deve ser isso.

– Olha que maravilhoso querido: “Podemos, pois, dizer com confiança: ‘O Senhor é o meu ajudador, não temerei. O que me podem fazer os homens?’ ” (Hebreus 13:6).

Gustavo sorriu e sentou-se próximo a Ana, quando de repente ouviu o disparo de uma arma.

4 comentários sobre “Confiar – Capítulo 10.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code