Princesas também são levadas ao deserto

Uma vez recebi um e-mail de uma moça pedindo conselho, enquanto explicava a sua dúvida e de onde ela surgiu, ela comentou que me acompanhava pelo blog e muitas outras blogueiras cristãs também, e que todas essas moças pareciam ter uma vida muita perfeita, como se nada de ruim acontecesse. Na época acabei concluindo que realmente tudo acaba parecendo muito perfeito através do Facebook, do blog, do Instagram, porque nós só compartilhamos sorrisos, alegrias, as vitórias que Deus nos dá. Não só eu, mas qualquer pessoa logada em uma rede social. A verdade é que ninguém tem uma vida perfeita, todo mundo passa por altos e baixos, e nós cristãos não estamos livres disso. 
Não. Minha vida não é perfeita, mas foi passando pelos vales que cheguei onde estou. Tenho muita história para contar quando o assunto é luta, desde pequena convivi com um lar mergulhado em contrito, o fato da minha mãe ser cristã protestante e o meu pai ter uma religião diferente sempre gerou muito conflito, muitos propósitos diferentes, e o inimigo utilizou a diferença entre meus pais para matar sonhos, causar brigas, tirar a paz, trazer enfermidades… Só que em todo tempo Deus estava presente conosco, nos alertando do quanto nos amava e fazendo promessas de que tudo mudaria. Me agarrando a Deus passei por provações que cheguei a acreditar em alguns momentos que não teriam solução, e foi o fato de estar pertinho dEle que hoje me faz até esquecer dos momentos angustiantes do passado. 
Foi lendo a história de José, uma, duas, três (…) até perder a conta, que aprendi que é a cada uma das lutas, das aflições, das lágrimas e soluços profundos, que Deus vem me preparando e capacitando para o futuro que Ele reservou para mim. Se José não tivesse ido ao Egito, ele nunca teria sido um grande governador. Se Ester não tivesse ficado órfã e ido morar com seu primo Mardoqueu, ela não teria tido a mesma oportunidade para se tornar rainha. Se não passarmos pelo deserto não seremos lapidadas, não seremos transformadas em diamante! 
E foi durante meus próprios dias difíceis que Deus me usou para escrever mensagens que Ele queria dizer a mim e a outras garotas. Foi na tentativa de por para o papel tudo o que eu sentia que o Princesas Adoradoras surgiu, e o primeiro leitor das minhas cartas, dos textinhos no meu diário foi o Senhor. Foi para Ele que escrevi e depois Ele mesmo me impulsionou a usar minhas experiências difíceis para ajudar outras pessoas. Às vezes, um texto antes de ser para qualquer outra pessoa é para nós mesmos. Isso acontece com toda equipe do Princesas Adoradoras, e nós ficamos gratas de ver Deus trabalhando em nossos corações enquanto Ele nos usa para cuidar de outros que Ele tanto ama.
É no deserto que Deus prova o nosso coração e a nossa fé. Entre as colinas de areia fina e quente, o sol escaldante e a companhia do vento que corta o rosto que Deus nos projeta para o futuro, que Ele trabalha em nosso caráter e amplia nossa ação. É no deserto que Deus te mostra que você é capaz de vencer qualquer dor com Ele, que as muralhas são derrubadas com um simples toque e que para Ele não há impossíveis! Como bem disse meu pastor num culto de domingo: “O Evangelho não é só vitória, é luta, é deserto, mas acima de todas as coisas somos mais que vencedores!” Vencemos o deserto porque somos filhas do Deus vivo, porque Ele nos chamou para a Luz, para a Verdade, e se nós decidimos segui-lo nada pode nos impedir. 
Desde pequena carrego comigo um princípio que me impulsiona a viver uma vida que valha a pena. Sempre me preocupei muito com o que pensaria sobre mim mesma quando chegasse na velhice. Sempre desejei olhar para trás e dizer que valeu a pena. Atrelada a essa preocupação, estava um desejo de fazer coisas importantes, mudar o mundo mesmo que fosse com uma coisinha pequeninha. Foi findando a adolescência que descobri que esse desejo de fazer algo importante não era meu, mas sim de Deus. Ele me deu um coração sonhador e fez dele morada de sonhos grandes. Os sonhos foram se formando e eu fui descobrindo que eu não queria deixar o meu nome gravado nesta terra, mas sim o nome do meu Pai. 
Minha vida não é perfeita, mas a partir do momento que escolhi caminhar com Cristo me tornei suscetível a viver o impossível. Quando decidi confiar nEle e esperar pelas coisas dEle o tempo que for preciso ganhei a chance de colher flores no futuro, flores que muitas das vezes eu se quer imagino como sejam, ou até imagino, mas Deus supera cada uma delas. 
Me disponho a apresentar esse Deus de amor, esse Pai que acolhe, que colhe lágrimas, que nos pega pela mão. Ver os sonhos que apenas Deus e eu conhecíamos sendo realizados é a prova de que há um Deus no céu – uma prova pra mim ok? rs – e de que Ele se dispõe a ouvir a todos, por mais pequeno e insignificante que você pareça. Sua vida não é perfeita, mas há um Deus trabalhando nela, e quando esse Pai trabalha, se prepare! 
Não se desespere quando estiver no deserto, você não ficará lá para sempre. O deserto é lugar de passagem e não de permanência. Deus te fará vencer a cada obstáculo, busque ouvir a Sua voz, a conhecer Sua Palavra e seja obediente. Lembre-se sempre que há motivos para estar no deserto, você crescerá nele. E jamais deixe que a sua história no deserto se perca, porque através dela Deus falará a outros corações. 
Os sonhos de Deus se cumprirão na sua vida, apenas confie!  

Não sei se cheguei a escrever o que eu realmente queria escrever no início do texto, mas fluiu do Espírito, espero que fale com alguém…

PS: Di, sei que hoje é o seu dia de postar, mas tive que em entrometer por aqui! Te amo!

1 comentário sobre “Princesas também são levadas ao deserto”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code