Tão pequena…

Algumas pessoas acham que sou corajosa, minha mãe principalmente, mas seu amor por mim pode deixá-la um pouco confusa, coitada. Na verdade, sou bem medrosa, porém não deixo que isso me paralise ao ponto de frustrar um sonho querido, embora isso acabe acontecendo às vezes… Talvez minha mãe e algumas outras pessoas digam que sou corajosa por ter mudado para o Rio de Janeiro aos 18 anos para estudar, ou por viajar sozinha para os lançamentos do livro, mas a verdade é que o medo cresce de vez em quando, me deixando ansiosa ao ponto de precisar tomar chá de camomila (muitas xícaras!).
Sabe Deus por que alguns medos surgem de forma tão avassaladora que volto a ter 5 anos de novo e preciso que alguém segure minha mão para atravessar a rua.
Em abril, minha agenda ficou marcada por três viagens: Salvador, Brasília e Belo Horizonte. Viagens que desejei e ansiei como nunca, e que são presentes de Deus para o ministério “Princesas Adoradoras”, contudo na semana em que ia embarcar para Salvador fui tomada pelo medo e ansiedade. Por que? A viagem em si não era o problema, era só um medo diante do novo mesmo, uma ansiedade perante as pessoas que conheceria e pelos obstáculos que surgiriam. E o fato de ter crescido em um lar simples, onde nós estávamos mais em casa do que viajando conta muito para gerar insegurança e timidez.
A Thaís estava se sentindo com 5 anos de novo, lembra? E adivinha quem segurou  minha mão?! Meu eterno Pai celestial, claro!
Enquanto o avião passava pelos icebergs de algodão (expressão roubada da linda Helena Tannure), meus olhos acompanhavam os contornos das nuvens e se perdiam na imensidão azul. O medo que me fez sentir tão pequena durante toda a semana não era nada diante da grandeza do céu, o que me fez lembrar do quão infinito é Aquele que o projetou!
Nossos problemas e as situações que nos afligem podem parecer tsunamis enormes, daqueles que devastam cidades e ganham destaque internacional, mas diante da imensidão celestial eles serão sempre pequenos, e insignificantes perante o poder de Deus. Nós não paramos para observar ou pode ser que sejamos incapazes disso, mas Deus dá ordens aos Teus anjos para que eles nos protejam, para que zelem e nos guiem constantemente, portanto nunca estamos só e ao confidenciarmos à Deus o quão pequena e medrosa somos, Ele nos enche da coragem necessária.
Digo e repito: não sou corajosa, mas Deus me dá a força e a coragem que preciso! De mãos dadas com Deus rompemos barreiras e limitações. Deixando que a vontade dEle seja feita em nossa vida e tendo apenas a coragem fundamental par o primeiro passo, nós somos surpreendidas com o quão longe os planos de Deus vão. Tudo o que você precisa para vencer os medos – sejam eles por coisas boas ou ruins – é ter um pouco de fé e confiar no Senhor, o resto acontece!
As minhas duas primeiras viagens foram perfeitas! Deus fez tudo acontecer da melhor maneira possível, alguns imprevistos aqui e ali, algumas mudanças, mas que no fim deram certo e que só me ensinaram a confiar ainda mais no Pai e aprender a deixar o medo e a ansiedade da carne de lado. Deus trabalha até nos pequenos imprevistos e está sempre nos ensinando lições diferentes. Esteja atenta aos detalhes, eles te ensinarão a alcançar as nuvens!

 ***

“Lá
uma vez ou outra o medo chega bem pertinho da moça. Ele bagunça seus
pensamentos e deixa seu coração aflito. Ela sente frio na barriga e as
pernas tremem um pouco. Ao invés de enxergar possibilidades, os
obstáculos no caminho são expandidos e ficam muito mais visíveis do que
as soluções para eles. A moça começa a pensar em desistir de certos
sonhos e passos grandes que precisam ser dados. Mas ela só pensa, porque
no fundo sabe que não está sozinha. Ela tem medo sim, contudo
o medo dela não é maior do que o Pai que ela tem. Toda vez que essa
menina sente medo ela é lembrada do quanto é pequenina, é como uma flor,
sensível e que em breve será levada, mas o Jardineiro permanece o mesmo e
é o único capaz de cuidar dela. A moça pode temer, mas toda vez que o
faz, entrega seu medo nas mãos do Jardineiro e confia nEle, porque sabe
que com Ele nada pode impedi-la.

Toda vez que ela entrega seu medo
nas mãos do Jardineiro, recebe em troca uma dose de paz e outra de
coragem. Quando ela menos espera um passo enorme é dado e toda honra vai
para o seu Pai, para o magnífico Jardineiro.” (Thaís Oliveira)

Um dos lados bons do medo? Renderam dois textos né… Beijos, meninas! Paz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code