Que tal jejuar?

tumblr_msk6fizdnC1r13oj1o1_500

Diferente do que talvez passe – ou já tenha passado – pela sua cabeça, jejuar não é o mesmo que fazer uma greve de fome desejando alcançar um objetivo. Jejuar não é dizer: “Deus, vou ficar sem comer até o Senhor me trazer um futuro marido!” ou “Deus, é bom que o Senhor traga a cura para a minha mãe, porque se não quem irá morrer sou eu…”. O jejum não tem nada a ver com colocar Deus em uma parede e implorar para que Ele faça aquilo que você quer.

Jejuar é sim passar um período de tempo em abstinência alimentar – por um período curto ou mais longo –, em que você abre mão das suas necessidades carnais para dedicar-se ao espiritual. Ou seja, é abrir mão do pão que alimenta a sua carne, para encher o seu espírito.

É importante que você entenda que o jejum não é apenas ficar sem comida – ou refrigerante, seriados, livros, enfim, qualquer outra coisa que você goste muito –, mas sim passar esse período ligado em Deus, buscando mais dEle.

Embora não seja um ato obrigatório, o jejum foi muito praticado no Velho e no Novo Testamento. Jesus o fez e também supôs que os seus discípulos fariam (Mt 9:15).

Durante o Antigo Testamento, acompanhamos jejuns feitos individualmente ou de forma coletiva, motivados por necessidades pessoais ou nacionais, por exemplo:

– Os israelitas jejuaram nos dias de crise;

– Os profetas jejuaram quando estavam se preparando para ouvir o Senhor falar com eles;

– Moisés jejuou quando esteve no Monte Sinai;

– Ana jejuou quando quis um filho.

Na época de Jesus o jejum também era praticado:

– Os fariseus jejuavam duas vezes por semana;

– Os discípulos de João Batista jejuavam;

– Jesus jejuou após o seu batismo e antes da tentação;

– A igreja primitiva jejuava para encher-se ao máximo do Espírito Santo.

Através do jejum homens e mulheres buscaram o poder e as bênçãos do Senhor.

O jejum, portanto, vem ser o domínio – o autocontrole – da sua carne e se entregar totalmente as coisas espirituais.

Já fiquei com muitas dúvidas sobre pelo que jejuar (e conheci pessoas que as tinham também), dúvidas do tipo: Eu posso jejuar para pedir a Deus algo? Por que eu tenho que jejuar e para que?

Aqui vai uma listinha prática:

  • Devemos jejuar por ocasião de crise nacional (Ed 8:21)
  • Devemos jejuar quando estamos em pecado (Is 58:4)
  • Devemos jejuar em períodos de grande aflição (Jz 20:26)
  • Devemos jejuar antes de tomarmos grandes decisões (At 13:2-3)

Através do jejum você pode buscar mais intimidade com Deus, pode buscar capacitação e santificação. Também pode levar seus pedidos a Deus, guerrear espiritualmente por sua nação, por problemas pessoais, por condições de realizar o seu chamado…

Atenção:

Calma aí, hein! Não vá ficando animada demais e jejuar por dias afio. O jejum requer cuidado. O seu corpo precisa de cuidado tanto quanto o seu espírito, por isso é preciso estar atenta aos horários, a sua saúde, ao que o seu corpo aguenta. Se você tem algum problema de saúde não vá fazer nada que te prejudique.

Também não precisa querer jejuar um dia inteiro em seu primeiro jejum, faça períodos pequenos, vá se adaptando e aprendendo. Deus está atento a sua intenção, a sua dependência para com Ele, e não necessariamente em sacrifícios que vão te machucar e prejudicar.

Para que seu jejum tenha valor não basta apenas ficar sem comer – como já falei acima –, é preciso que o jejum venha acompanhado de atividades espirituais (leitura bíblica, meditação, oração, momentos de adoração).

Também não caía no engano de acreditar que só porque você jejua é mais espiritual do que alguém que não o faz. Na verdade, ninguém nem precisa saber que a senhorita jejua, isso é entre você e Deus. Jesus mesmo nos ensinou que quando se jejua você não deve chamar a atenção para si – não tem que andar por aí com uma placa “Gente, to jejuando!!” – nem ficar com a cara amarrada, murmurando e se lamentando ou qualquer outra coisa entediante (dá uma olhadinha lá em Mateus 6).

Enfim:

“O propósito de um jejum espiritual é sempre o mesmo: aproximar o crente de Deus (Jl 2:12-15). Das circunstâncias mais humildes, procura-se a Deus. Deus não é comovido pelo jejum em si, mas pelo fato de que os corações de seu povo se voltaram para a justiça (At 10:30-33). A Bíblia adverte, repetidas vezes, que o verdadeiro jejum não é meramente a abstenção de comida (Mt 9:14-15). O jejum precisa estar acompanhado de arrependimento sincero e de boas obras (Is 58:3-7) e nunca deve ser feito para impressionar aos outros, como mero ritual ou como fonte de orgulho espiritual.” (Nota de rodapé da Bíblia da Mulher: leitura, devocional, estudo – SBB)

Assim como a Bíblia o jejum não saiu de moda. Por mais jovem que você seja, nunca é cedo demais para começar a jejuar. Se você se sentir confortável para fazê-lo, faça. Aproveite este momento de intimidade com Deus para crescer, amadurecer, se purificar. Jejue para buscar santidade, para ser cheia do Espírito Santo.

*Fontes: Bíblia da Mulher: leitura, devocional, estudo. | Revista: Escola Bíblica Dominical – Adolescentes: Fique ligado! Editora Cristã Evangélica).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code