20 de Março de 2013
Oi Princesas *-*
Está no ar mais um capítulo de Confiar, espero que vocês gostem, e Deus fale através desta história com vocês.
Deus as abençoe, minhas Pequenas!
Thaís Oliveira, Princesas Adoradoras. 

Capítulo 6



Não foi
fácil pra Sophia tentar esquecer Pedro, não foi mesmo. Toda hora ela se
lembrava dele, se recordava dos beijos e abraços, da mão dele segurando a sua,
das conversas jogadas fora. Ela se lembrava também, do quanto havia mudado, do
quanto o relacionamento não era bom pra ela, e que Deus havia dito para parar,
então concluiu mais uma vez que tinha tomado a decisão correta.
Uma semana
havia se passado, Sophia ainda não conseguia orar com a mesma paixão de antes,
percebi que ela tinha receio, estava com medo e se decretando uma pecadora,
queria a intimidade que tinha com Deus e ela sabia que isso teria que conquistar
sozinha.
 Estrela ainda estava de férias, então não
voltou a ver as amigas depois daquele final de semana. Elas já sabiam – é claro
– que Pedro e Sophia não estavam mais juntos, tentaram se comunicar, mas Sophia
evitou tudo, não estava pronta para enfrentá-las, sabia que as ouvia demais e
não queria voltar atrás na sua decisão.
As férias chegaram ao fim, com Sophia aproveitando aqueles
dias para se redimir diante ao Senhor. Ela leu a palavra, orou, cantou, foi a
igreja, mas ainda bem quietinha, de um jeitinho bem humilde.
Com o fim das férias, veio o medo de se encontrar com as
amigas de novo, não queria ter que conversar sobre Pedro, não queria ter que
ver ele, nem ouvir a voz dele…
Mas não teve jeito, assim que as amigas a viram na escola as
primeiras perguntas foram:
– O que você
fez? – Indagou Paula.
– Por que
você terminou com o Pedro? – Disse Bella.
– Você é
louca, Sophia? – Carol disse toda nervosa, dando um tapa no braço da
amiga.
 – Ei, eu não sou louca, e não me bate. – Sophia não
queria falar sobre isso, então o seu lado insensível estava ligado. Ela estava
totalmente seca. – Primeiro, foi o Pedro que terminou comigo, segundo eu
não fiz nada além de não aceitar a proposta dele. Vão reclamar com ele, não
comigo… Melhor, deixem isso quieto!
– Nossa você
tá muito mal humorada. Ficar sem namorado tá acabando contigo. – Paula, toda
sentida disse, não concordando com a tonalidade de voz de Sophia.
– Você
precisa conversar comigo sobre isso direitinho… Que tal ir lá em casa hoje a
tarde? – Perguntou Carol toda convidativa, queria fazer a amiga mudar de ideia.
– Hoje não
vai dar, tenho ensaio de teatro da igreja, e tenho umas coisas para resolver…
Agora vou na biblioteca levar o livro que eu peguei.
Ah, ensaio
de teatro? Merece até palmas Estrela e foi dessa forma que agi. Bati palminhas
para a minha Estrela que estava voltando a brilhar! E espero que o teatro não
seja apenas uma desculpa, espero que ela realmente vá. Mas, voltando ao
assunto…
Sophia
seguiu para a biblioteca, nenhuma das amigas foi atrás dela, sabia que elas
estavam bravas e estava satisfeita por não ter que encontrá-las fora da escola
hoje.
Enquanto
caminhava Sophia começou a notar que todos estavam olhando para ela e cochichando,
como se ela estivesse andando com uma melancia na cabeça.
Naquele
momento entendi o que estava acontecendo. Atitudes mal pensadas geram
consequências, um tanto desastrosas.
As
consequências dos seus atos não vem do Mestre, não é culpa Dele se você se
afastou e criou uma imensa bola de neve cheia de problemas, mas como o Pai
amoroso que Ele é, Ele está disposto a te ajudar passar por esses problemas,
segurando a sua mão, e que através desta batalha você cresça e se aproxime
ainda mais Dele.
Deus está
lá, mesmo que você não esteja lá por Ele. Ele zela por você, se entristece
quando você se machuca, mas você não permite que Ele cuide de ti, Ele está lá,
de braços abertos esperando que você o abrace.
O Mestre
estava lá por Sophia, estava pronto para cuidar dela naquela batalha e a única
coisa que Sophia conseguiu fazer naquele momento foi abraçar seu Pai.
O celular
vibrou no bolso de sua calça, ela o pegou e abriu a mensagem que piscava na
tela do aparelho.
“Sophia
Albuquerque, a mais nova integrante do grupo das safadinhas de plantão. Depois
de transar com Pedro Rangel, a mocinha deu um fora no namorado…”
Sophia não
conseguiu ler mais, uma indignidade imensa subiu pela sua garganta, era uma
coisa tão idiota, que só poderia ter vindo de um idiota. Embora a mensagem
estivesse em restrito, ela sabia que aquilo era armação de Pedro, e uma raiva
imensa a atingiu.
Me aproximei
de Sophia, segurei a sua mão, não adiantava dizer nada, ela não iria ouvir.
Então o amor do Mestre invadiu seu coração, Sophia se acalmou, deixando que
lágrimas descessem.
Sophia era
aquela garota que não tinha palavras quando estava com raiva, quanto mais
indignada estivesse mais lágrimas viriam à tona.
Nenhuma de
suas amigas apareceu naquele momento, nenhuma delas veio segurar a sua mão.
Uma das
professoras de Sophia, Sara, a viu chorando e foi a seu encontro.
Sara a
envolveu em seus braços e perguntou com palavras doces e calmas.
– O que foi,
Sophia? O que aconteceu?
Sophia não
tinha forças para responder, apenas queria ir para casa ou ser envolvida
naquele abraço.
Sara levou
Sophia até uma sala de reuniões que havia naquele corredor. Enquanto elas iam
passando, o pessoal da escola davam risadinhas e faziam fofocas de todos os
tipos, mesmo com o olhar repreensivo da professora, nenhum deles teve a
decência de parar.
Deus havia
trazido uma pessoa especial para socorrer Sophia, a professora Sara era amiga
dos pais dela, era cristã e se Sophia contasse o que estava acontecendo, Sara
provavelmente iria entender e apoiar. Mas o ‘e se’ é falho, Sophia vai contar a
verdade ou omitir os fatos? Só ela e o Mestre sabem…
Sara sentou
Sophia em uma cadeira e esperou que ela parasse de chorar, mas esperou em vão.
As lágrimas não paravam de descer, o rosto de Sophia estava ficando cada vez
mais vermelho, suas mãos estavam agitadas, ela estava nervosa, queria ter
forças para se levantar e ir tirar satisfação com Pedro, porém agiu sabiamente,
fechou os olhos e clamou a Deus por uma solução.
– Sophia, o
que foi que aconteceu? – Perguntou Sara calmamente.
Sem uma
resposta, Sara pegou o celular que já estava sendo esmagado pelas mãos de
Sophia. Ela ligou o aparelho e viu a mensagem que estava aberta.
 “Sophia Albuquerque, a mais nova integrante do
grupo das safadinhas de plantão. Depois de transar com Pedro Rangel, a mocinha
deu um fora no namorado. Será que ela é mesmo a santinha que todos imaginavam?
Tá mais pra santinha do pau oco! Kkkkk ‘ u-u”
Sara levou
às mãos a boca, demonstrando espanto. Não sabia que se aquilo era mesmo
verdade, e mesmo se não fosse não sabia de que forma reagir.
– Sophia,
quem te mandou isso?
– Eu… Eu
não tenho certeza… – Sophia sussurrou as palavras, ela não sabia se era mesmo
o Pedro, não havia um remetente na mensagem, não havia como ela provar. Fora
que a mensagem foi escrita de modo informativo, não havia muitas
características de Pedro naquela mensagem.
Assentindo,
Sara perguntou.
– Mas quem
você imagina que tenha sido?                                                         
Sophia
relaxou, e naquele momento percebi que ela estava disposta a contar tudo.
Após contar
a Sara sobre o namoro, sobre a proposta que havia recebido e sobre o término,
Sophia se calou. Durante o desabafo ela chorou, se controlou, e percebeu mais
uma vez que ela não conseguia guardar um segredo por muito tempo, até sorriu se
lembrando do quanto durou o segredo, ela já devia ter soltado para a mãe a
muito tempo.
Sara ouviu
em silêncio o tempo todo, assentindo e mostrando a aluna que estava atenta a
tudo. Depois de algum tempo em silêncio, ela começou a falar.
 – É preciso conversar com esse rapaz, Sophia,
tentar o fazer parar… Ele está com raiva de você, com raiva da sábia decisão
que você tomou. Pedro Rangel? É esse o nome dele né? –  Sophia assentiu. – Então, ele não está
acostumado a levar um não. Já foi meu aluno, conheço a figura, não é o garoto
pra você, nunca quis compromisso com nada.
– Eu
descobri isso, Sara… Mas o que eu posso fazer? Ele não vai me ouvir, meu pai
não pode vir à escola, porque o problema não foi feito aqui e ele nem sabe que
eu estava namorando. – Sophia disse, se entristecendo ainda mais.
– Sophia, eu
conheço o seu pai, sei que ele vai ficar triste, mas não negará ajuda… E o
problema não foi gerado aqui, mas os alunos estão envolvidos. Todos estavam
olhando pra você, todos receberam a mensagem, não é algo que pode ficar impune.
Sophia
assentiu, queria muito os pais ali com ela, queria sentir que estava segura,
que aquilo tudo não passava de um pesadelo. Nesse momento Jesus a envolveu em
um abraço, Ele jamais deixaria de abraça-la. Então Estrela se acalmou, respirou
profundamente e decidiu que estava na hora de contar aos pais.
Problemas
pequenos podem se tornar imensos vendavais dependendo de quem os conta. O ser
humano tem a triste mania de aumentar os fatos, criando sempre novas emoções
para as histórias dos outros, e foi isso que aconteceu com Sophia. Num piscar
de olhos todos na escola tinham recebido a mensagem, começaram a criar
histórias mentirosas sobre o que Sophia havia feito com Pedro. De repente,
Sophia havia se tornado a vilã da história.
Ela não
queria sair daquela sala, precisava encarar o mundo, mas não queria deixar ir
embora aquele abraço caloroso que sentia. Sophia se encolheu na cadeira,
abraçando as pernas, de um modo a estar mais protegida.
Jesus com
todo o Seu amor, voltou a abraça-la mais forte, e transmitiu mais calma e
coragem para sua pequena princesa.
Sara deixou
Sophia sozinha, estava a caminho da secretaria para ligar para os pais da moça.
A professora combinou que iria receber Ana e Gustavo antes de Sophia, contaria
o assunto com cautela, e os acalmaria.  
 Enquanto Sophia se aconchegava no abraço de
Jesus, ela se lembrou de suas amigas, isso me fez pensar onde elas estariam. Se
diziam tão amigas, que estariam sempre presentes, mas não estavam ali, e não
era por falta de saber, a mensagem provavelmente havia chegado para elas, e se
por acaso não haviam recebido, já deveriam ter percebido a fofoca. Se
procuraram Sophia na biblioteca e não acharam, deveriam ter ligado para amiga
ou mandado um sms, amigas de verdade deveriam estar aqui, com ela.
Nem todos
que vocês chamam de amigos, são mesmo seus amigos! Tenham cuidado com isso.
Sophia ficou
ali sentada, sendo abraçada por Jesus, ela relaxou, tentou esquecer os
problemas e ouviu uma vozinha lá no coração dizendo.
“Não tenha
medo, pois eu estou com você, sou o filho de Deus, te ajudarei, te segurarei,
estou te abraçando agora, Sophia… Confie em mim, eu te ajudarei.”
Uma lágrima
escorreu pela face de Sophia, ela sorriu e se sentiu querida. Jesus olhou para
mim e sorriu, estava feliz, mais uma estrela estava voltando para casa.
Algum tempo
depois a porta da sala de reuniões se abriu. Jesus se levantou e ficou ao lado
direito de Sophia, enquanto eu estava ao lado esquerdo. Gustavo foi o primeiro
a surgir, seriamente andou até estar de frente para Sophia. Ela estava
esperando uma bronca terrível, imaginou que o pai nem entraria, que ele não
entenderia, mas ao contrário de tudo de mal que ela havia imaginado, o pai
estendeu a mão e assim que Sophia as segurou, ele a levantou e a envolveu em um
abraço.  
Sophia
chorou. Então Jesus foi até Ana, que estava parada próxima a porta, segurou em
sua mão e a levou até a filha, Ana se juntou ao abraço, e perdoou a falha da
filha.
– Me
desculpa? – Sophia perguntou em meio às lágrimas.
– Sim,
Estrela. – Disse o pai, Sophia olhou para a mãe, esta assentiu e chorou com a
filha.  
– Nós vamos
pra casa agora. Tá bem? E vamos conversar direitinho sobre esse assunto. –
Ana disse, sem ameaças, ela sabia que a filha havia errado, e sabia que ela
iria aprender com o erro. Não adiantava brigar, criticar e não estar presente
neste momento, ela era mãe, estava magoada e decepcionada com a filha, mas iria
ajudá-la a sair dessa.  
Eles percorreram o caminho até em casa em silêncio. Ana
havia sentado ao lado de Sophia nos bancos traseiros do carro, segurando as
mãos da filha.
Assim que chegaram em casa, todos se acomodaram na sala e
Sophia começou a contar. Da mesma forma que falou a professora, contou aos
pais, pediu desculpas o tempo todo, e verdadeiramente se mostrou arrependida.
– Sophia,
você passou por uma experiência desnecessária. Deus irá trazer alguém pra você
na hora certa, assim como trouxe sua mãe para mim. Não é preciso namorar
escondido, não é preciso mentir para nós, você só tem que esperar a vontade de
Deus. Filha, alguém que te muda e não para o bem jamais será bom pra você…
– Eu sei
pai.
– Nós
estamos aqui juntos com você, vamos te ajudar a passar por isso, mas esperamos que
você tenha aprendido. Não saia dos planos do Senhor, querida, Ele tem o melhor
pra sua vida!
– Eu não
quero sair, mãe, eu não vou sair.
Não houve
guerra, não houve humilhações, Gustavo e Ana, entenderam que a consequência que
Sophia estava a enfrentar já era demais, eles optaram agir com amor e
sabedoria. Diferentes de muitos pais, eles se dispuserem a perdoar o erro da
filha e juntos com ela, lutar para mudar aquela história.
Deus sabe de
todas as suas decisões, Ele sabe qual caminho você vai escolher, Ele sabe quais
sonhos você vai realizar, assim como sabe todas as vezes que você irá sair do
caminho Dele. Todas as oportunidades que são dadas a você, vêm acompanhadas de
variadas escolhas, entre elas está escolher o caminho que o Senhor preparou e o
caminho para o mundo, a porta estreita e a larga. Todo vez que você opta pela
porta larga, Deus se entristece, seu Pai teme que você venha a fugir de todos
os sonhos lindos que Ele escreveu para a sua vida.
A alegria do Mestre ao ver um filho Seu retornando para casa
é linda, sempre que essa decisão é tomada há uma festa no céu. Com Sophia não
foi diferente, ela estava de volta sobre a proteção Dele, ela voltou a trilhar
as linhas escritas por Deus.
As consequências das decisões do namoro de Sophia não
estavam indo embora, ela teria que enfrentá-las, mas não lidaria com elas
sozinha, tinha Deus do seu lado, Jesus, Espírito Santo,  anjos, e os pais, agora caberia a ela ser
forte e decidir lutar.
Acordar sabendo que tinha que ir para uma escola onde todos
estariam fazendo fofoca sobre você não foi nada fácil para Sophia. Eu precisei
sussurrar incessantemente.   
“Aguenta firme, e não desiste, Princesa! É a sua vez de
mostrar o quão forte você é!”
Ela levantou fez uma oração e começou a cantarolar. Jesus
estava em pé próximo à janela, sorrindo enquanto a ouvia cantar.
  – Então
menina não vá desanimar, feche os olhos e você vai encontrar a força que
precisa para alcançar. O céu em você vai apostar. Se cair, levante e caminha,
você é forte, só não sabia! – Enquanto cantava, Sophia foi invadida por
uma alegria celestial, paz, amor e força a envolveram, ela era forte só não
sabia o quanto! Ela era querida e amada, não conseguia se quer imaginar o quanto.
Cantando e dançando, ela foi se arrumando para a escola.
Estava na hora de enfrentar o medo.
De ante do espelho, após escovar os cabelos, Sophia disse:
  – Já bem
disse William Young, “Não importa o que as pessoas pensem sobre você, e sim, o
que Deus sabe sobre você”. E é isso ai, Deus sabe que eu não fiz nada do que as
pessoas estão pensando, eu tenho minha consciência limpa, é isso que importa. E Deus está comigo, Ele está!  
  – Sim, Nós
estamos!  – Disse Jesus, se aproximando de Sophia.
Uma nota sobre nossa Estrela
Ela fala sozinha e sempre declarou
 seus
argumentos para si mesma.
Ama recitar trechos de grandes autores e
principalmente
 entendeu que
não está sozinha!
Sophia foi
para a escola acompanhada por anjos, não apenas eu estava presente, mas uma
equipe enorme de anjos experientes, que estavam ali para cuidar dela. Ninguém
toca em uma filha de Deus!
Quando
Sophia chegou à escola, viu suas amigas sentadas em uma mesa no pátio, elas
olharam para Sophia, mas simplesmente as ignoraram.
Rejeição foi
o sentimento que Sophia sentiu naquele momento, não apenas das amigas, mas de todos
os colegas que não paravam de olhar para ela e cochichar. Enquanto se
entristecia com aquele momento, sentiu uma mãozinha segurando a sua, ela se
virou e sorriu.
Diante dela
estava Júlia, devidamente uniformizada e preparada para estudar na sua nova
escola. Deus estava preparando mais surpresas para Sophia do que ela podia
imaginar.
Escrito por: Thaís Oliveira

Você também vai gostar

    Ele está nos levando em direção a calmaria
    Além da tempestade, há um céu azul

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

10 Comments

receba as novidades


Inscreva-se no formulário ao lado e receba conteúdos exclusivos em seu e-mail.
 
 

Acompanhe os vídeos no youtube


desenvolvido por QRNO