9 de Março de 2020

Bom dia, Princesa! Como você está? Espero que bem.

Não me chamem de Noemi, a Feliz. Chamem de Mara, a Amargurada, porque o Deus Todo-Poderoso me deu muita amargura. Quando saí daqui, eu tinha tudo, mas o Senhor me fez voltar sem nada. Então, por que me chamar de Feliz, se o Deus Todo-Poderoso me fez sofrer e me deu tanta aflição? — Rute 1:20-21.

Após sair de Belém, acompanhada do marido e dos filhos, por causa de uma grande fome que assolava a região, Noemi foi morar com a família em Moabe, onde seus filhos casaram-se com Orfa e Rute. O que aquela mulher não esperava era que tanto seu marido quanto seus dois filhos fossem morrer naquela terra, deixando-a sozinha com suas jovens noras.

Após perder o marido e os filhos, o cenário de Noemi não era nada animador. Por isso, após ouvir que o Senhor havia abençoado a cidade de Belém com uma boa colheita, ela decidiu voltar para casa. Caminhava junto com as noras em direção a Belém, quando virou para as meninas e disse: “Voltem, minhas filhas. Por que querem ir comigo? Vocês acham que eu ainda poderei ter filhos para casarem com vocês? Voltem para casa porque já estou muito velha para casar de novo. Pois, ainda que eu tivesse esperança de casar outra vez ou mesmo que cassasse esta noite e chegasse a ter filhos, será que vocês iriam esperar até que eles crescessem para vocês casarem com eles? É claro que não, minhas filhas! O Senhor está contra mim, e isso me deixa muito triste, pois vocês também estão sofrendo” (Rt 1:12-13).

Para nós que já conhecemos como a história de Noemi termina, é fácil julgá-la e condená-la por sua tristeza e mágoa contra Deus, mas a dor de uma mãe que perde seus filhos é muito profunda… Noemi ficou tão entristecida que até pediu que os moradores de Belém não mais a chamassem de Noemi, mas sim de Mara, que significava uma mulher Amargurada. Para Noemi, Deus a havia permitido sair de Belém com tudo, mas retornar sem nada.

Todavia, o que nós vemos na vida de Noemi é o cuidado do Senhor em cada detalhe. De fato, Deus permitiu que Elimeleque, Malom e Quiliom morressem, mas este cenário não era para destruir a vida de Noemi, mas sim para que novos planos se concretizassem em sua vida e, também na vida de Rute.

Quando nós passamos por um período de grande dor, é muito difícil compreender que Deus está conosco neste processo, que Ele nos ama e que não perdeu o controle sobre a situação. Nossa primeira reação, assim como Noemi é acusá-lo de ter nos tirado o que mais amávamos. Contudo, como a história de Noemi nos permite compreender, o Senhor é aquele que sara as feridas, cura as dores e concede grandes bençãos. Rute casou-se com Boaz, algum tempo depois, e deu à luz a Obede, uma criança que trouxe grande alegria para Noemi e que foi avô do rei Davi, um membro querido da genealogia de Jesus.

Por mais que você não entenda agora Princesa, nossas dores não significam maldade ou abandono de Deus. Pelo contrário, elas são parte do processo que nos conduzirá a viver os planos que Ele mesmo escreveu para nós. Aprenda a confiar no Senhor na dor e a depender dEle mesmo nos dias mais dolorosos e solitários, porque Ele permanece cuidando de você e transformará cada lágrima de dor em sorriso amanhã.


Podcast

Lembrando Princesa, que em nosso Podcast nós disponibilizamos todos os nossos devocionais. Nos seguindo em alguma das plataformas, você tem acesso gratuito. Na nossa aba Podcast você pode conferir em quais plataformas nós estamos além do Spotify (que já deixo aqui pra você começar a dar play ♥).

Escrito por: Thaís Oliveira

Você também vai gostar

    Será que vale a pena (mesmo) esperar?
    ca-rên-cia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

receba as novidades


Inscreva-se no formulário ao lado e receba conteúdos exclusivos em seu e-mail.
 
 

Acompanhe os vídeos no youtube


desenvolvido por QRNO