14 de Outubro de 2014

Papai tinha acabado de preparar o café, uma fina fumaça subia das xícaras e o cheirinho de café invadia toda a cozinha, a torrada quentinha derratia a manteiga e minhas meias mantinham meus pés quentinhos, embora estivéssemos na primavera aquela manhã estava fria e papai fazia de tudo para aquecê-la.

Sentamos na mesa e começamos nosso café da manhã, como de costume o rádio estava ligado tocando uma das minhas playlists favoritas de Casting Crowns. Entre um gole e outro do café papai resolveu quebrar o silêncio daquela manhã.

– Querida, acho que você está mais velha hoje… – ele pousou sua xícara na mesa, cruzou os braços no peito e me fitou como um especialista em artes faz em um museu.

– Por que pai? – meu pai é daquele tipo de gente que está sempre contando piadas, fazendo até da seriedade um momento de sorrisos.

– Porque sua testa está cheia de rugas esta manhã. – ele tomou mais um gole de café enquanto dei uma mordida na minha torrada. – O que pertube minha pequena princesa?

Papai vivia me dizendo que eu era tão invisível quanto minha mãe, jamais consegui esconder alguma coisa dele, e esta manhã não seria diferente. Algumas dúvidas vinham surgindo na minha cabeça nos últimos dias e eu tentei ao máximo transformá-las em perguntas decentes e não em lámurias de uma adolescentes qualquer, mas provavelmente não seria capaz…

– Pai, por que nós cristãos vivemos dizendo que somos livres se não podemos fazer nada? Por que é pecado eu pensar em mim primeiro? Por que é errado me envolver com uma pessoa que não tem a mesma crença que eu? Por que tudo acaba sendo pecado na maior parte das vezes? – derramei minhas questões sobre o meu pai na mesma velocidade que a água corre numa queda de cachoeira, como de costume papai bebericou seu café mais uma vez enquanto assimilava tudo o que disse.

– Querida, você está estudando a Segunda Guerra Mundial não está? Tudo o que Hitler fez foi errado, não? Quantos judeus ele matou? Aproximadamente uns 6 milhões? É isso que algumas fontes dizem… Imagine se não houvesse regras no mundo? Todo dia viveríamos uma guerra diferente. Regras são necessárias para vivermos em paz. Ao contrário de nós, Deus é perfeito e como o céu é Dele e para Ele, lá também há perfeição, certo? – ele olhou pra mim esperando confirmação.

– Certo.

– Deus não nos deixou deveres porque Ele é super organizado e quer que sejamos privados de tudo, Ele vem nos ensinando quem devemos ser para um dia encontrarmos a perfeição Dele. Nós somos livres porque Ele nos livrou da morte, porque Ele nos dá a chance de vivermos sem a necessidade da morte. Por que as pessoas precisam de usar drogas? Porque elas sentem-se vazias. Por que os jovens precisam entrar na vida sexual cada vez mais precocemente? Porque sentem-se vazios. Por que as pessoas não tem paz para sorrir, para dormir, para viver cada dia de uma vez? Porque estão cada vez mais distantes de Deus.

– A vida que Ele nos dá é a libertação de um vazio eterno. É o encontro do filho que estava perdido com um pai que tanto ama. Deus nos deu a liberdade de escolher entre Ele e o mundo, entre os prazeres temporários e a vida baseada na boa, perfeita e agradável vontade Dele…

Papai se levantou e foi até a janela, afastou as cortinas e pude ver o nosso muro cheio de pássaros, eles vinham até ali toda manhã comer as frutas que papai deixava para eles.

– Sabe por que os pássaros voltam pra cá, filha? – ele sorria como uma criança que acabara de descobrir um tesouro valioso.

– Porque eles são bem tratados aqui? – perguntei enquanto me levantava e caminhava até onde ele estava.

– Sim, e assim somos nós. Nós buscamos a Deus porque Ele nos amou primeiro, porque nós descobrimos esse amor e não queremos mais viver longe dele. A viagem até esse encontro diário com Ele pode ser cheia de obstáculos, mas cada um deles vale a pena, porque nos braços Dele nós nos sentimos completos de novo, nós descobrimos que somos livres e podemos voar cada vez mais alto com Ele. O mundo pode ter muitos atrativos, mas só Deus é eterno e nosso voo nos levará para casa.

“Foi para a liberdade que Cristo nos libertou. Portanto, permaneçam firmes e não se deixem submeter novamente a um jugo de escravidão.”
Gálatas 5:1
Escrito por: Thaís Oliveira

Você também vai gostar

    Pense no que você diz a seu respeito!
    Ele está nos levando em direção a calmaria

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

10 Comments

receba as novidades


Inscreva-se no formulário ao lado e receba conteúdos exclusivos em seu e-mail.
 
 

Acompanhe os vídeos no youtube


desenvolvido por QRNO