30 de Janeiro de 2019
Foto de Kelly Sikkema
Pois vocês não receberam um espírito que os torne, de novo, escravos medrosos, mas sim o Espírito de Deus, que os adotou como seus próprios filhos. Agora nós o chamamos “Aba, Pai”, pois o seu Espírito confirma a nosso espírito que somos seus filhos, então somos seus herdeiros e, portanto, co-herdeiros com Cristo. Se de fato participamos de seu sofrimento, participaremos também de sua glória.
— Romanos 8:15-17
A palavra Aba é um termo aramaico que significa pai. Geralmente é traduzido para o português como papai ou paizinho. O termo aparece no Novo Testamento apenas três vezes, mas é o suficiente para nos mostrar uma nova dimensão da relação que Deus deseja ter conosco.
Recentemente, assisti a uma ministração do pastor Douglas Gonçalves onde ele explica que o termo “Aba” na verdade, é um som que as crianças do período do Novo Testamento faziam antes mesmo de aprender a dizer “pai” ou “papai”. Sabe quando a criança está começando a soltar os primeiros sons e ao ver o pai ela agita os braços e grita: “papa”? Assim o termo Aba era utilizado no hebraico. Era uma forma carinhosa da criança chamar o pai, antes de qualquer outro sentimento além do amor marcar essa relação.
Eu não sei se a paternidade de Deus está clara para você, por isso é tão importante falarmos a respeito dela. E mesmo que você saiba de cor que Deus te chamou para ser filha dEle, é muito importante se lembrar dessa verdade todos os dias, para que dia após dia você possa permanecer como filha.
João escreveu que aqueles que receberam a Jesus como seu Senhor e Salvador, ganharam o direito de se tornarem filhos de Deus (Jo 1:12). Isso significa que todos são filhos? Não. Apenas aqueles que aceitaram a Jesus tornaram-se membros da família do Todo-Poderoso. Todavia, todos podem vir a ser filhos após terem um verdadeiro encontro com Cristo!
Gosto de um texto da escritora Stormie Omartian em que ela explica a importância de reconhecermos o Senhor como Pai, uma vez que apenas estar ciente de que Deus é seu Pai não seja o suficiente para viver a paternidade do Aba em sua vida. Stormie explica que,

“O não reconhecimento de Deus como seu Pai celestial é uma das razões que amarram e fragmentam as pessoas, deixando-as com uma sensação de fracasso em relação a si mesmas e a própria vida.” (30 dias para tornar-se uma mulher de oração, p. 18)

Crescer com a ciência de que se é amado pelos pais e qual a sua origem, contribui e muito para o desenvolvimento emocional e até mesmo espiritual da pessoa. Nem todos tem essa oportunidade, mas com Deus, nós podemos nos desenvolver cientes de que Ele nos ama, mesmo que sejamos abandonados por todos, porque Ele nunca nos abandona!
Por isso, lembre-se: “‘E lhes serei Pai, e vocês serão meus filhos e minhas filhas’, diz o Senhor todo-poderoso” (II Co 6:18). Deus deseja um relacionamento de Pai com você. Deus anseia para que você o chama de “Aba”, papai, papa, da mesma forma pura que uma criança chama o seu pai. 
Mas será que você tem em seu coração a certeza de quem você é filha? Você está ciente de que Deus é o seu pai? Você tem plana consciência de que Deus a ama e a valoriza?

Mas será que você está mesmo certa de que Deus é um Pai que a ama e valoriza, importa-se com você, cuida de você com sustento e proteção, tira sua dor e a restaura como um bom pai deveria fazer? Sem essa certeza no íntimo de sua alma, será difícil entender como o Senhor a vê. (30 dias para tornar-se uma mulher de oração, p. 18)

Segundo a Stormie, os filhos que sabem que são amados pelo pai se comportam de maneira diferente daqueles que duvidam do amor do pai ou daqueles que sabem que o seu pai não se importa com eles. Os filhos que sabem do amor do pai e da sua importância para eles, conseguem se desenvolver melhor e carregam menos traumas. Na nossa vida espiritual as coisas não são muito diferentes. Quando passamos a reconhecer a Deus como pai alcançamos um novo nível de relacionamento com Ele!
Compreender o amor de pai que o Senhor tem por ti, contribui para que você também compreenda quem você é! Deus deseja que você saiba e reconheça a paternidade dEle.
No vídeo do pastor Douglas, ele explica que quando crianças nós chamamos nosso pai de “papa” ou a mãe de “mama” por pureza, pela simples alegria de termos avistados os nossos pais ou pela confiança e dependência que temos nele. Com o passar do tempo, a medida que crescemos, passamos a usar as palavras a nosso favor e aprendemos a falar com nossos pais da maneira que os conquistemos para que eles façam aquilo que queremos. Por exemplo:
— Oi, paizinho… Eu te amo tanto sabia?!
— O que foi, filha?
Os pais logo descobrem quando estamos querendo alguma coisa, não é mesmo?
Mas o nosso Aba, o nosso “papa” para o Senhor, deve vir carregado da pureza de uma criança. O chamamos de Aba porque descobrimos que Ele não apenas nos salvou ao dar o seu Filho Único em nosso lugar, como após esse sacrifício adotou todos aqueles que creram em seu filho! Nós o chamamos de Aba porque sabemos que somos inteiramente dependentes daquele que nos amou antes mesmo que nascêssemos! Nós o amamos porque Ele nos amou primeiro!
Hoje, não se esqueça que Deus quer ser o seu Aba! ♥
Continua…

Escrito por: Thaís

Você também vai gostar

    Cresça espiritualmente, menina
    A minha igreja me feriu

Responder a Vitória Martini Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

One Comment

  • Vitória Martini

    Oi Thais, simplesmente amo esse cantinho e o que você tem derramado neste aposento <3

    Que lindo isso! Me senti tocada pelo teu texto.. Deus queres que sejamos como crianças, o "desfrutar" de um relacionamento intimo e sincero com o Pai que é eterno <3

    Que você continue a transbordar do amor de Deus em sua vida, que Deus lhe abençoe.

    Beijos.

    Vitoriamartini.com

receba as novidades


Inscreva-se no formulário ao lado e receba conteúdos exclusivos em seu e-mail.
 
 

Acompanhe os vídeos no youtube


desenvolvido por QRNO