2 de Junho de 2014
Bolinhas de Algodão

Parece que uma criancinha bagunceira abriu  uma caixinha de algodão no céu, o vento por sua vez espalhou as bolinhas por toda a imensidão azul. As bolinhas de algodão loucas para conhecerem o mundo vão fugindo pelos horizontes em busca de novos sonhos, novas aventuras, novas bolinhas de algodão.

Hoje talvez eu quisesse ser uma bolinha de algodão fugindo da minha caixa, fugindo das responsabilidades
que o início da vida adulta traz, dando um até logo para tudo que tem feito meu coração e meus olhos arderem como sol de verão.

Gostaria que o meu eu bolinha de algodão se tornasse um algodão doce, daqueles rosas bem grandões que a gente vê num parque de diversões, e que ao sobrevoar os céus outros sonhadores pudesses se libertar de suas caixas e alçar voos em direção aos seus tão sonhados horizontes. Mas enquanto não viro uma bolinha de algodão, me contento em olhar para o céu e imaginar a infinidade de coisas que ainda poderei fazer.
Tudo tem seu tempo, nuvens vem e nuvens vão, o sol nasce e se recolhe para que assim as estrelas brilhem, talvez meu dia de ser estrela também chegue, mas hoje me contentaria sendo uma bolinha de algodão.

Paz!
Escrito por: Thaís Oliveira

Você também vai gostar

    Pense no que você diz a seu respeito!
    O que fazer enquanto você espera?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

6 Comments

receba as novidades


Inscreva-se no formulário ao lado e receba conteúdos exclusivos em seu e-mail.
 
 

Acompanhe os vídeos no youtube


desenvolvido por QRNO