29 de Janeiro de 2020

Bom dia, Princesa! Como você está? Espero que bem.

Mostra-me, Senhor, o fim da minha vida e o número dos meus dias, para que saiba quão frágil sou. Deste aos meus dias o comprimento de um palmo; a duração da minha vida é nada diante de ti. De fato, o homem não passa de um sopro. — Salmos 39:4-5.

“Ah, deixa para depois…”

“Posso muito bem escrever isso amanhã.”

“Amanhã eu dou conta!”

Não sei você, mas um dos meus grandes desafios é a tal da procrastinação. Não conhece o termo? De acordo com o dicionário, P.R.O.C.R.A.S.T.I.N.A.R  é “transferir para outro dia ou deixar para depois; adir, delongar, postergar, protair”. Ah, é o famoso: “depois eu faço!”. Só a ideia de parar pra pensar em quanto tempo eu já perdi usando essa desculpa me dá calafrios. Mas já que nós iniciamos um novo dia, com a graça e misericórdia do nosso Deus, por que não trabalhar para melhorar, não é mesmo?

A Bíblia diz que o ser humano é como um sopro, nossos dias nessa terra passam tão depressa quanto uma sombra (Salmos 144:4). Assim como uma neblina passa, nós também passaremos. Diante da ciência dessa brevidade, o Senhor tem me feito refletir sobre como eu administro meu tempo, será que tenho o aproveitado de maneira que valerá a pena? Um dos meus maiores anseios desde pequena era chegar a velhice e poder olhar para trás e dizer: “Poxa, valeu a pena!”. Vira e mexe, minha procrastinação me faz esquecer desse desejo, mas não é que o Senhor tem me feito lembrar dele?

Afinal, por que nós fomos criadas? Para o que estamos nessa terra? Será que vale a pena viver uma vida baseada apenas no que meu eu desejo?

Em Efésios nós lemos que:

“Porque Deus nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis em sua presença. Em amor nos predestinou para sermos adotados como filhos, por meio de Jesus Cristo, conforme o bom propósito da sua vontade, para louvor da sua gloriosa graça, a qual nos deu gratuitamente no Amado.” (Ef 1:4-6)

Ei! Nós fomos planejadas pelo Senhor antes mesmo da criação deste mundo. E antes mesmo que nós fôssemos um sonho dos nossos pais, o Senhor já havia determinado que nos acolheria como Suas próprias filhas. Fomos criadas para glorificá-lo, louvá-lo e sermos amadas por Ele. Será que a maneira como utilizamos o nosso tempo tem correspondido com essa verdade?

Será que o que você vive, produz, pensa, fala, tem tocado o coração do seu Pai? Como nós já vimos em um devocional desta semana, Deus nos deu um anseio pela eternidade. Torço para que esse anseio e a consciência de que somos amadas por um Deus incrível, nos estimule a dedicar nosso tempo no que realmente vale a pena, em tesouros que a traça não poderá corroer. E minha dica para nós hoje é que sempre que a procrastinação bater em nossa porta nós possamos nos lembrar que a vida é como um sopro suave.

Tire um tempo para seu descanso, para curtir quem você ama, para se divertir, mas não deixe para depois o que realmente importa, o que você pode fazer hoje!


Podcast

Lembrando Princesa, que em nosso podcast nós disponibilizamos todos os nossos devocionais. Assim, você pode tê-los em primeira mão. Para acessá-los clique aqui.

Escrito por: Thaís Oliveira

Você também vai gostar

    Será que vale a pena (mesmo) esperar?
    ca-rên-cia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

receba as novidades


Inscreva-se no formulário ao lado e receba conteúdos exclusivos em seu e-mail.
 
 

Acompanhe os vídeos no youtube


desenvolvido por QRNO