23 de Julho de 2014

Oi gente! Tudo bem? Espero que sim! Acabei dando uma sumidinha essa semana porque fiquei sem internet, mas ela voltou o/ e os posts também. Vocês lembram do projeto Poem a Day que participei mês passado, onde acabei escrevendo alguns contos românticos sobre Ana e Pedro? Recebi alguns pedidos carinhosos de leitoras que também são amigas *-* dizendo que gostariam de ler mais contos assim ou talvez que eu investisse em uma fanfic, resolvi trabalhar em algumas ideias e trago hoje o primeiro capítulo de Uma aventura à dois.

“Ariel tem 17 anos, está terminando o 3º do ensino médio, é cristã, cresceu dentro da igreja, mas jamais deixou que Deus crescesse dentro do coração, ela passa a maior parte do tempo sentada em frente ao mar sonhando com o dia que começará a viver aventuras de verdade. Hospitais, escritórios, salas de aula, tudo parece muito pequeno para esta menina que sonha em conhecer o mundo, mas tudo a sua volta pode mudar mais cedo do que ela imagina. Com a chegada de dois vizinhos, Felipe e Mateus, Ariel descobrirá dois mundos totalmente diferentes e ambos mudarão sua vida para sempre.”     
Espero que vocês gostem!
Capítulo I 
Ariel morava com os pais e mais duas irmãs em um casarão em
frente ao mar, como a filha mais velha estava sempre sendo deixada de lado, era
a última a ganhar presentes, a última a receber atenção, a última a ser
ouvida… Estava sempre fora de foco, o que acabava despertando na moça o
desejo de viver aventuras longe de casa,à procura de pessoas que estivessem
dispostas a resolver o mistério que ela era.
Embora fosse cristã e sempre frequentasse a igreja, sua fé
só existia dentro daquelas quatro paredes e a falta de incentivo dos pais
também tornava a Bíblia, Deus e a oração, pouco chamativas para a menina. Na
verdade estava sempre acreditando que a fé só servia para manter as pessoas
distantes de tudo que havia de melhor no mundo, sentia-se presa a uma pequena
bola de sabão que desejava estourar por aí, mas estava protegida demais por
regras e obrigações.
Enquanto caminhava de volta para casa depois da escola,
Ariel viu um caminhão de mudanças encostar em uma casa na frente da sua, a casa
estava a venda há dois anos desde que Pedro e os pais se mudaram para uma
cidade grande vizinha. Seus pais não haviam comentado que alguém se mudaria
para lá, movida pela curiosidade ela diminuiu ainda mais o passo e ficou bisbilhotando
enquanto dois homens abriam o caminhão e começavam a descarregar as coisas.
Decidida a saber quem eram os novos moradores a menina sentou no velho balanço
que ficava na árvore do quintal da frente de sua casa, com fones de ouvido
tocando Legião Urbana ela se balançou até que um carro estacionou próximo ao
caminhão.
Saíram quatro pessoas do caminhão, um homem e uma mulher de
aproximadamente uns 40 anos, provavelmente os pais, Ariel concluiu, e dois
rapazes totalmente diferentes. Um deles parecia ter a mesma idade de Ariel 16
anos, era um pouco mais alto que ela, com cabelos castanhos quase mel que lhe
caiam na testa como se ele ainda tivesse 4 anos e para completar o look ele
tinha covinhas fundas nas bochechas. Já o outro rapaz parecia ser mais velho,
tinha cabelos negros cortados no estilo daqueles que soldados usam, o que fez
com que Ariel chutasse que ele tivesse uns 18 ou 19 anos e estivesse servindo ao
exército.
Enquanto ela se distraia olhando para os novos vizinhos e
mantinha o ritmo do balanço, o vizinho com pinta de soldado se aproximou da
cerca branca e parou na direção de Ariel.
– Está ouvindo o que? – ele perguntou enquanto tirava o
casaco, seus olhos verdes pareciam ver a alma de Ariel.
– Legião Urbana. – ela parou o balanço tentando parecer mais
madura.
– Bom som, sou o Felipe, seu novo vizinho. – ele piscou
enquanto jogava o casaco sobre o ombro.
– Prazer, Ariel. – ele sorriu e pulou para o lado de dentro
da cerca, pegou a mão de Ariel e escreveu um número de telefone nela.
– Me manda uma mensagem qualquer hora dessas. – pulou a
cerca de novo e caminhou para casa como se nada tivesse acontecido. Ariel ainda
estava impressionada com o garoto soldado enquanto discava o número em seu
celular e salvava nos contatos. Foi só quando estava levantando do balanço que
viu o garoto dos cabelos de mel novamente, ele estava olhando para ela da
varanda, estava segurando duas caixas que pareciam bastante pesadas, mas ainda
sim parou para olhá-la, ele sorria e havia uma doçura irresistível naquele
sorriso, mas não era nele que Ariel estava pensando, seu coração apaixonado por
aventuras impossíveis estava pulsando por Felipe.
Gostaram do primeiro capítulo? Sugestão para a história? Espero que vocês acompanhem, vou tentar postar um capítulo por semana! Beijinhos :*
Paz!
Escrito por: Thaís Oliveira

Você também vai gostar

    ca-rên-cia
    Que tipo de pureza o Senhor nos pede?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

7 Comments

receba as novidades


Inscreva-se no formulário ao lado e receba conteúdos exclusivos em seu e-mail.
 
 

Acompanhe os vídeos no youtube


desenvolvido por QRNO